Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :
img

O Uso do Arco (II Samuel 1:17-18)

O Uso do Arco

“E lamentou Davi a Saul e a Jônatas, seu filho, com esta lamentação. (Dizendo ele que ensinassem aos filhos de Judá o uso do arco. Eis que está escrito no livro de Jasher – Reto)” II Samuel 1:17-18

1 –        A Visão do Arco

Numa das reuniões de pastores que acontecia todo terceiro domingo do mês em Vitória, o Senhor concedeu A VISÃO DO ARCO, onde mostrou a figura abaixo representada

O Uso do Arco (II Samuel 1:17-18)

a)  O Discernimento

Na mesma reunião os pastores alcançaram os seguintes discernimentos:

– Madeira trabalhada

Homem que Deus pode usar, maleável quando exigido;

– Lâmina untada

Unção do Espírito Santo para ser usado;

– Cordão de Ouro

Poder concedido por Deus, para usar o homem na sua vontade;

– Três pinos de prata

Obra realizada pela Trindade para redenção;

b)  Utilidades do Arco

–  Arma de Guerra

Palavra na revelação que atinge à distância (lança as flechas);

–  Harpa

Operação de Deus no louvor (o desenho foi entendido como arco e como harpa).

c)   2ª Visão, Aperfeiçoamento da Revelação

Foi concedida, nessa mesma reunião,  outra visão no seguinte teor:

“Um anjo escrevia: essa ferramenta é de paz e de guerra: guerra – para enfrentar o pecado; paz  – como louvor e adoração.”

d)  O Texto em I Samuel

Uns dias depois um servo comentava com outro que a revelação amadurece no corpo, e só no corpo ela tem alcance e profundidade; e que como ela se desenvolve no corpo, ela deve ser repartida por todos e todos devem usá-la. Não há motivo de se falar outra coisa quando se tem a revelação.

Essa palavra suscitou ao outro servo lembrar de que há alguns meses antes o Senhor lhe havia concedido uma revelação na Palavra em II Samuel 1:17-18 que não havia entendido e que se referia exatamente ao assunto.

2 –        Situação em que vivia Israel

Saul após desobediência e rejeição pelo Senhor, perece com seus filhos na batalha com os filisteus;

No aperto, vendo a batalha perdida, Saul se suicida;

Um amalequita vai a Davi, informando que ele matou a Saul e leva sua coroa e seu bracelete;

A mentalidade da época era a mesma de hoje, reinante no mundo e na religião: o amalequita considerou que Saul era inimigo de Davi e procurava com isso alcançar um destaque no reino de Davi. Era uma grande oportunidade. Não há dúvidas que se fosse no reino de Saul ele seria engrandecido.

a)  A mentalidade existente (obra de Saul)

–  Egocêntrico

Tudo girava em torno do rei Saul; era muito importante a sua pessoa; era preciso cultuar sua personalidade, O que o Senhor dizia não era tão importante;

Determinou matar a Davi porque Deus era com ele, e o tinha em suspeita por causa de sua rejeição. Quando Jônatas, seu filho, o defendeu, Saul ficou tão irado que tentou cravá-lo com sua lança na parede e disse claramente:

“Porque todos os dias que o filho de Jessé viver sobre a terra nem tu serás firme, nem o teu reino: pelo que envia e traze-mo nesta hora, porque é digno de morte.” I Samuel 20:31

Saul estava decido em defender seu reino terreno a qualquer preço. Não ouvia mais os conselhos e apelos da família.

–   Desprezo pelos Valores Espirituais

Os sacerdotes de Nobe acolheram Davi e lhe deram pão. Por essa causa Saul matou num dia 85 sacerdotes que vestiam a estola sacerdotal e passou a fio de espada toda a cidade desses sacerdotes. Os valores religiosos são secundários e a cada dia seus atos matam o que resta dos valores espirituais.

–   Não Tinha Temor

Não tinha temor, ofereceu um sacrifício, quando só o sacerdote podia Fazer.

“E esperou Saul sete dias, até ao tempo que Samuel determinara; não vindo, porém, Samuel a Gilgal, o povo se dispersava dele. Então disse Saul: Trazei-me aqui um holocausto, e ofertas pacíficas. E ofereceu o holocausto.”             I Samuel 13:8-9

–   Vaidoso e Ciumento

Indignou-se quando as mulheres reconheciam a obra de Davi cantando:

“Saul feriu os seus milhares, mas Davi  os seus dez milhares…” I Samuel 18:7-8:

Sua vaidade e seu ciúmes não permitiam que ele se humilhasse diante de Davi (Jesus)

–   “Comprava” a Fidelidade do Povo

Tentava “comprar” a fidelidade do povo:

“Dar-vos-á também o filho de Jessé, a todos vós, terras e vinhas, e far-vos-á a todos chefes de milhares e chefes de centenas?” I Samuel 22:7

Procurava evitar que deixassem de sua mentalidade (sua religião), oferecendo cargos e bens materiais, dizendo que com Davi era diferente (na obra é o Senhor quem dá e não é material).

–   Precisava da Misericórdia dos Homens e Confiava neles

Quando alguém dizia onde estava Davi, quando o perseguia, ficava agradecido

“Bendito sejais vós do Senhor, porque vos compadecestes de mim.” I Samuel 23:21

Precisava da misericórdia de homens e confiava em homens.

Comentário

Concluindo, no reino de Saul as coisas giravam em torno de seus interesses somente, sem dúvida alguma, acima dos interesses de Deus. Era de acordo com sua conveniência, tal como no mundo e na religião.

b)  A nova Mentalidade Obra de Davi

–   O Momento

O Senhor levanta a obra de Davi exatamente quando tudo parecia perdido: Israel derrotado diante dos filisteus, Saul e seus filhos mortos. Além da vergonha, era um grande escândalo para a Obra de Deus a morte de seu Ungido. Contraditoriamente em relação aos outros reinos, é exatamente nesse momento que o Senhor estabelece a Obra que era de sua vontade. Deus não depende de reinos, de opiniões, não faz acordos para parecer que está tudo bem. Deus é o Senhor.

 

Gostou? Então compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest
  • Buffer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar