A FESTA DA ULTIMA HORA – Ester 1:3 a 9


A FESTA DA ULTIMA HORA

Ester 1:3 a 9


INTRODUÇÃO – Os textos se refere ha um momento muito especial e fala de um grande banquete que foi preparado pelo rei Assuero, uma festa longa realizada num período de 180 dias (6 meses).

 

DESENVOLVIMENTO

V4 – …”para mostrar as riquezas da glória do seu reino, e o esplendor da sua excelente grandeza…”.

Nesta festa foram revelados aos convidados as riquezas, a glória, o esplendor e a excelência do seu reino. Esta festa nos faz lembrar do período da graça que começou no Pentecoste, onde o Espírito Santo se revelou e foi derramado, dando início a igreja onde Deus passou a revelar ao homem todos os seus mistérios, as riquezas de seu reino e o extraordinário projeto de salvação.

 

V5 – “E, acabados aqueles dias, fez o rei um banquete a todo o povo que se achava na fortaleza de Susã, desde o maior até ao menor, por sete dias, no pátio do jardim do palácio real”.

O que nos chama atenção na palavra é sobre este ultimo momento, onde uma outra festa foi também realizada, onde muitos foram convidados desde o maior até o menor. Esta festa é a festa da ultima hora, ela foi realizada no pátio do jardim do palácio real.               

Pátio do Jardim = Igreja                                                Palácio Real = Eternidade

Quem estava participando desta festa estava avistando o palácio, e o desejo certamente era de estar no palácio do rei, entende-se que para isso era necessário desejar estar no palácio.

 

V7 – “E dava-se de beber em copos de ouro, e os copos eram diferentes uns dos outros; e havia muito vinho real, segundo a generosidade do rei”.

Nesta festa realizada no jardim do palácio, todos estavam vendo a glória do rei, pois ali ele se revelava a todos os presentes, e nesta festa havia abundante graça e muito vinho real, segundo a generosidade do rei, pois ele estava muito alegre e mandou fazer e trazer os vasos, e cada um tinha o seu vaso, ele não era de pedra ou barro, mas era de ouro e todos eram diferentes um do outro.

Estes vasos somos nós. Deus tem nos valorizado e somos diferentes um do outro, porém perante Deus somos todos iguais, e o mais o importante é que todos eram de ouro e o vinho colocado dentro dele é o mesmo colocado em todos, ou seja, o vinho colocado no vaso (copo) de um é o mesmo colocado no copo do outro. O Espirito Santo é o mesmo que está operando em cada um em particular.

O vinho (que é tipo do Espírito Santo) está disponível. Quem quiser e pedir tem, porque o vinho é do rei. O espírito não é dado por medida. Quem mais pede mais recebe; quanto mais deseja mais alcança.

No contexto de igreja (corpo), às vezes há pessoas que nunca foram à frente, outros ainda não tem função, porem são vasos de ouro e tem um grande valor e importância para Deus. Somos preciosos para Deus “A bênção do SENHOR é que enriquece…”. (Provérbios 10:22)

V8 – “E o beber era por lei, sem constrangimento; porque assim tinha ordenado o rei expressamente a todos os oficiais da sua casa, que fizessem conforme a vontade de cada um”.

O rei deu uma ordem através de um decreto (lei) para que ninguém forçasse o outro. Era para fazer conforme a vontade de cada um (livre arbítrio), sem constrangimento.

V9 – “Também a rainha Vasti deu um banquete às mulheres, na casa real, do rei Assuero”.

Este é o grande banquete, a grande riqueza que o rei tem preparado, porque o rei é rico, e ele está alegre, e sabe por que o rei deu a festa? Porque ela queria casar.

Na ultima semana, no auge da festa, ele convidou a rainha Vasti para participar da festa. Vasti até queria participar e receber os benefícios, porém achou que não era o momento. O compromisso dela estava em outro lugar. Ela estava em outra festa, e recusou em vir porque o compromisso dela era com outras mulheres.

Vasti – Tipo de uma igreja que está vivendo em outra festa, onde tem o seu banquete particular e que está envolvida com o banquete dos seus interesses, assim Vasti não serviu para ser rainha.

Foi determinado que o rei desse o reino que estava determinado para ela à outra que fosse melhor do que ela. Assim escolhida Ester que era criada por Mardoqueu, porque não tinha pai nem mãe; e era jovem bela de presença e formosa; e, morrendo seu pai e sua mãe, Mardoqueu a tomara por sua filha a educando, corrigindo e a repreendendo quando necessário. Assim Ester foi sendo preparada e tinha graça aos olhos de todos quanto a viam.

 

CONCLUSÃO – Mardoqueu – Tipo do Espírito Santo. O Espírito Santo é aquele que nos repreende quando necessário, pois está nos preparando, pois o Senhor virá para buscar uma igreja preparada pelo Espírito Santo.

Quem quer ficar fora desta festa? Deus neste ultimo momento está convidando a todos!

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário

Novidades do site

Assine e confirme no seu email