A lei não será revogada – Ester 8

A lei não será revogada – Ester 8

Ester 8 – A lei não será revogada.

“E disse: se bem parecer ao rei, e se eu achei graça perante ele, e se este negócio é reto diante do rei, e se eu lhe agrado aos seus olhos, escreva-se que se revoguem as cartas e o intento de Hamã, filho de Hamedata, o agagita, as quais ele escreveu para lançar a perder os judeus, que há em todas as províncias do rei.” (Ester 8:5)

O Senhor é o autor da vida.
Todas as coisas foram criadas por ele.
Mas não foi O Senhor quem criou a morte; ela entrou no mundo pela serpente.

No início da criação a única lei que existia era: se o homem desobedecer vai morrer.
E ele desobedeceu.
E desobediência é pecado e o preço do pecado é a morte.
A morte reclamou o sangue do homem em todo o Velho Testamento.
A dívida precisava ser paga, porém não havia como satisfazer a dívida.

O clamor de Ester ao rei Assuero representa a aflição das almas do passado.

Por que O Senhor não revogava a lei?
Ele tem autoridade para mudar os tempos (Daniel 2:21) e podia fazer voltar o tempo antes do pecado original.
Ou poderia revogar a leu que dizia que quem pecasse ia morrer.
Mas isso não seria um ato de amor pelo homem.

A Bíblia diz que o amor jamais acaba (I Coríntios 13:8) – o amor de Deus.
Mas Jesus disse: não jugueis que eu vim revogar a lei (Mateus 5:17). A palavra de Jesus era estranha. Assim como a do rei Assuero: “A lei que se escreve em nome do rei e se sela com o anel do rei, não é para revogar” (Ester 8:8).

O que fazer então?
O rei mandou que o próprio Mardoqueu escrevesse uma nova lei em favor dos judeus e distribuísse o mais rápido possível a todos que precisavam conhece-la.

A lei antiga não foi revogada – passou a existir duas leis.
Porém todos que quisessem tomar posse da segunda lei tinham direito de se defender da morte no dia determinado para o juízo na primeira lei.

A segunda lei é a continuação do versículo de Mateus 5:17: “Eu não vim ab-rogar a lei, vim cumpri-la”.

Jesus veio cumprir a lei, pagando o preço de toda a condenação que estava sobre o homem.

A primeira lei falava da morte por causa do pecado e ela vai cobrar do homem num dia determinado. Essa lei nunca deixou de existir.

A segunda lei diz que o Sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo o pecado, e onde não há pecado, não há mais condenação e onde não há condenação, não há mais morte – vencida foi a morte na vitória de Cristo.

A primeira lei foi escrita e distribuída por Hamã – o inimigo de Deus e do homem.
A segunda lei foi escrita e distribuída por Mardoqueu – o Espírito Santo.

Todos receberam as duas leis e podiam escolher qual desejavam que estivesse vigendo sobre suas vidas no dia determinado.
Uma era a lei da morte, a outra, a lei da vida.
O povo judeu escolheu a lei da vida.

Quem informava a respeito da lei da vida era Mardoqueu e ele fazia isso para todos os que ele queria que se salvassem – assim como o Espírito Santo opera até os dias de hoje em favor daqueles que Ele deseja que se salvem.

“Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência.” (Deuteronômio 30:19)

A primeira lei ninguém queria, mas a segunda era tão maravilhosa que até quem não era judeu se fez judeu para ter essa lei vigendo sobre suas vidas.
“… e muitos, entre os povos da terra, se fizeram judeus, porque o temor dos judeus tinha caído sobre eles.” (Ester 8:17)

Esse é o versículo que profetiza a respeito da igreja gentílica.

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário

Novidades do site

Assine e confirme no seu email