Jó 2:9-10 “Então sua mulher lhe disse: ainda reténs a tua sinceridade?”

“Então sua mulher lhe disse: ainda reténs a tua sinceridade?”

Jó 2:9-10 

Tema: Reter a fé.

Introdução

A experiência de Jó nos permite extrair muitas lições para as nossas vidas espirituais. Uma vez que vivemos em um mundo em que as coisas tendem a mudar rapidamente, onde as pessoas de uma forma geral expõem as fragilidades das posições assumidas. As oscilações que acompanham a vida de muitos, ora se posicionam em favor disso, ora se posicionam em favor daquilo, nos revelam a falta de firmeza. As situações vividas aqui por Jó como: a perda dos seus bens, a perda dos filhos, a perda da sua saúde e por fim as incompreensões daqueles que conviviam com ele, no caso, a sua esposa poderiam facilmente demovê-lo das suas convicções e do seu posicionamento em relação ao seu Deus. A arguição da esposa de Jó foi: “ainda reténs a tua sinceridade”?  ou seja,Jó você perdeu tudo, tu irás ainda permanecer fiel ao teu Deus? Não era fácil responder a este questionamento, pois, se olhássemos pelos olhos da razão, a mulher de Jó tinha toda a RAZÃO, mas a resposta de Jó foi de alguém espiritual, que olhava para as questões que o envolvia com olhos da fé.

Desenvolvimento

Então sua mulher lhe disse: – A voz da razão é o grande perigo que nos ronda, pois, se dermos ouvidos a razão, esta nos afastará do projeto de salvação. É preciso ter muito cuidado com aqueles que estão a nossa volta, que deixaram de crer no poder de Deus, que veem com olhos da carne e não veem com olhos da fé. Nesta última hora é imprescindível para que tenhamos uma caminhada segura ouvirmos tão somente a voz do Espírito Santo. “quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas”.

Ainda reténs a tua sinceridade? – quantas vezes nós também já ouvimos estes questionamentos, você está na Igreja, você está nas madrugadas, está nos cultos, nos seminários, etc. e enfrentam essas lutas, passam por dificuldades. Ainda reténs a tua sinceridade? A nossa resposta é sempre a mesma, sim iremos manter o nosso compromisso com Deus, sim iremos servi ló ainda mais, sim iremos ainda mais aos cultos, iremos ainda mais as madrugadas; nós permaneceremos na presença do Nosso Deus. Não estamos fingindo de ser crentes, a nossa fé é a mesma que Paulo ao escrever a Timóteo fez questão ratificar dizendo; “trazendo à memória a fé não fingida que em ti há, a qual habitou primeiro em tua avó Loide, e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também habita em ti”.  II Tm 1:5.

Sinceridade –   o que é sinceridade? Ou o que é ser uma pessoa sincera? É uma pessoa fiel a princípios, e estes regem e moldam o seu caráter. Então, conclui-se ser esta pessoa, uma pessoa integra e verdadeira. No mundo vemos o contrário disso (falsidade), as pessoas estão falando com alguém e mal esse alguém vira as costas… Fulano é isso, fulano é aquilo, são pessoas que falseiam as suas opiniões e sentimentos em relação às outras pessoas, não são integras, não são verdadeiras. Quando Deus que sonda as mentes e corações assegurou acerca de Jó, que este era um homem sincero, reto e temente a Deus, e que se desviava do mal; o seu testemunho foi fiel e verdadeiro, não caindo por terra.

Porém ele disse: como fala qualquer doida, falas tu; –  para muitos seria muito difícil e em alguns casos até mesmo impossível fala com a “general que tem em casa” nestes termos que Jó falou. Mas Jó discerniu que o que ele ouviu da sua esposa não provinha do espírito, o que ele ouviu combatia a sua fé, o que ele ouviu o afastava de Deus. Isso nos mostra a firmeza que havia em seu coração, e esta era resultado da fé que não esmaeceu em sua vida, mas continuava firme e inabalável.

Recebemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? – Jó era grato a Deus pelas bênçãos, conhecia um Deus que é soberano. Nós também temos recebido o bem do Senhor, pois, ele nos deu a salvação em Jesus. Jó demonstrar aqui conhecer que as provas fazem parte da caminhada do homem, estas servem para tempera a nossa fé, dar a consistência necessária para a nossa permanência na presença do Senhor. Nós não as queremos, mas as provas são necessárias para que nos moldemos a vontade do Senhor e ao seu projeto.

Em tudo isto não pecou Jô com os seus lábios – todas aquelas situações vividas por Jó, não o levou a blasfemar, nem pecar contra Deus. A palavra nos ensina a em tudo dar graças ao Senhor, usarmos os nossos lábios para o louvor e adoração ao nome do Senhor.

Conclusão

A pergunta feita Jó se deu no momento mais difícil da sua vida. Jó poderia se furtar de respondê-la, e dizer quem sabe outro dia eu respondo? Quem sabe numa outra hora? Ou simplesmente ignorar este questionamento não dando resposta alguma. Mas Jó respondeu e na sua resposta reafirmou o seu compromisso com Deus. A pergunta foi“ainda reténs a tua sinceridade?.  Essa mesma pergunta nos é direcionada, qual será a sua resposta? Jó não estava respondendo simplesmente a sua esposa, pois, a um Deus Onisciente, Onipresente e Onipotente, que tudo sabe, tudo vê e tudo pode, a sua resposta estaria diante do Senhor.   

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário

Novidades do site

Assine e confirme no seu email