Vitória sobre a carne – Gênesis 39:10-12

Gênesis 39:10-12

“E aconteceu que falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela, Sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali; E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora.”

INTRODUÇÃO

Embora a Palavra de Deus registre, coletivamente, as lutas de Israel na sua conturbada vida de relacionamento com Deus, onde a história está marcada pela senóide da obediência e pelo sofrimento que a incredulidade trouxe a todo o povo, individualmente, salta-nos aos olhos o esforço de homens e mulheres que queriam o lugar da bênção. Ainda que muitos buscassem, nem todos alcançaram, porque a bênção não é fortuita, impessoal, aleatória, ela tem um segredo: é dirigida ao fiel!

A história de José tem essa marca: a fidelidade incontinenti de um jovem em todas as circunstâncias da vida.

Vitória sobre a carne!

DE CANAÃ AO EGITO

A trajetória de desventuras e revezes que José experimentou desde a casa do seu pai, em Canaã até a casa de Potifar, no Egito, seria suficiente para transtornar qualquer homem. O filho obediente e o jovem zeloso de Canaã, torna-se um trabalhador servil no distante exílio do Egito. A balizar-se pelas circunstâncias desfavoráveis e pelas sucessivas adversidades sofridas, José poderia facilmente concluir ter sido vã a sua fé…Entretanto tudo serviu como encorajamento e nada foi demasiadamente grande que o consolo da fé não encobrisse… “Há coisas que, a princípio, não podemos explicar nem compreender; a inocência que sofre, a maldade que prospera, podem dar certa aparência de verdade ao raciocínio do incrédulo, mas o verdadeiro fiel descansa na certeza de que o justo Juiz de toda a terra fará justiça…”

NA CASA DE POTIFAR

Aquele não era um ambiente próprio para o seu crescimento espiritual. Era uma casa no Egito. E toda a compreensão mística, pagã e distorcida sobre Deus, estava naquele lugar. Não fora aquele o lugar que escolhera para construir sua vida. Fora levado até ali. Ali estava o seu trabalho, sua sobrevivência e a única oportunidade para sonhar, um dia, voltar ao lugar que sempre desejou morar: Canaã. Estava afastado dos seus amigos, do seu pai, da sua família, estava longe de tudo e de todos…Contudo não perdeu a consciência de um projeto grandioso que lhe fora, um dia revelado. Não perdeu o compromisso da fé…

Como José, frequentemente somos levados ao mundo, impelidos ao trabalho, aos estudos e à realização de muitas tarefas essenciais à vida, onde partilhamos do mesmo ambiente com pessoas descrentes e sem esperança em Deus. Como José, não podemos deixar que as areias movediças das coisas humanas desvie, dos nossos olhos, a fé nos propósitos insondáveis de Deus…

DEITA-TE COMIGO

O convite da mulher de Potifar é o convite inconsequente da carne que atrai o homem para destruí-lo. É a alegria contingente, irresponsável, sem compromisso com o futuro. Tudo faz para absorver o presente, consumir o tempo, dispersar a fé, interromper a bênção e tirar a vida. ‘Carne e sangue não herdarão o reino dos céus’. A mais forte atração que o mundo exerce sobre o homem é a que contém os ingredientes da carne: o magnetismo das paixões, a alegria do pecado e a sensação do prazer momentâneo. A carne humana é a mercadoria vulgar em ‘promoção’ por todos os lugares e de todas as formas…

Diante da insistência do convite, José demonstrou sua nobreza quando permaneceu firme aos propósitos de sua eleição.

DEIXOU O VESTIDO

José trazia sobre si uma capa que lhe vestiram no Egito. Era uma peça de uso comum para os homens daquela época, que se colocava sobre a outra roupa. José deixa com a mulher a capa que levava sobre si. Aquilo que é do Egito impede o homem (jovem) de seguir o seu destino. A roupagem do mundo não pode envolver o crente. A linguagem, os costumes, os modismos, as muletas (vícios, maus hábitos…) quando trazidos para a casa de Deus anulam a caminhada dos servos. Salvar-se das garras do mundo é abandonar a capa. Tirar de sobre si o peso do pecado e as malícias do mundo, e vestir a roupa nova da regeneração, do novo nascimento.

FUGIU

O confronto de José com a mulher de Potifar era uma luta desigual. Nenhum argumento

seria suficientemente forte para demover a mulher da sua disposição. Contra a carne não existe argumento. Lança-se sobre o homem para dominar. Não acata hierarquias e não conhece limites. Só existe um meio de escapar: fugir!

ESCAPANDO PARA FORA

Como a igreja (eclesia – tirados para fora) José escapou para salvar sua vida. Buscou no compromisso da fé o descanso para a sua alma. Cumpriu sua responsabilidade como servo, descobrindo na expectativa da salvação, o sentido maior do seu labor. Não anulou o projeto de Deus sobre a sua vida, antes o firmou ainda mais, enchendo-se da graça e das bênçãos espirituais…

 

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário