Parábola do Semeador – Mateus 13:1-9 18-23

Parábola do Semeador

Textos: Mateus 13:1-9 18-23

Mar 4: 1-20

Luc 8:4-15

Objetivos:

1 – Levar o adolescente a posicionar-se, fazendo uma introspectiva de como vai a sua vida espiritual.

2- Eliminar as dificuldades que trazem prejuízos espirituais à vida do homem.

O QUE É UMA PARÁBOLA?

É um método usado para se falar de verdades usando fatos da vida comum. A semelhança pode ser feita a partir de palavras ou ideias. Ainda podemos dizer que dizer uma parábola é colocar uma coisa ao lado da outra para estabelecer uma semelhança entre elas.

PORQUE JESUS FALOU POR PARÁBOLAS?

Sendo o Senhor Jesus didático na sua maneira de ensinar ao homem e ser um meio de comunicar a verdade, fixando mais fortemente o ensino na memória. Uma outra justificativa dada pelo próprio Senhor Jesus é que, usava de parábolas porque não era dado a ouvintes conhecer os mistérios do Reino do Céu, para que vendo não vejam, e ouvindo não entendam (MAT 13: 10-16).

Queria Ele dizer que aqueles que estavam sempre “por ali”, ouvindo-o, não estavam preparados para ouvir e crer nas verdades espirituais de Seu Reino; e enquanto não chegasse o tempo em que as ensinaria a seus discípulos que teriam que continuar a sua Obra depois de partir para o Céu (MAR 4-33). Ao redor do Senhor Jesus estavam pessoas que andavam buscando alguma palavra que servisse de acusação contra Ele.

Somos bem-aventurados porque o Senhor nos tem feito entender as Suas parábolas os seus mistérios.

Judas Iscariotes ouviu a Palavra, a mesma semente foi lançada no coração dos outros 11 foi lançada no coração de Judas, porem o seu coração não era boa terra.

Hoje na classe nós estamos anunciando as medidas necessárias para que a semente germine.

PARÁBOLA DO SEMEADOR – (MAT 13:16-18) “Bem-aventurados, porém os vossos olhos, porque vêem; e os vossos ouvidos porque ouvem.

Porque em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ouvir o que ouvis e não ouviram.

Atendei, pois, a parábola do Semeador.

4 TIPOS DE TERRENO

Toda a Palavra do Senhor tem uma explicação.

Todos os símbolos e tipos usados pelo Senhor na sua Palavra tem um significado.

O que o Senhor Jesus queria dizer com 4 tipos de terreno?

 4 são os quadrantes da Terra,

 4 são as fases da lua,

 4 são as semanas do mês

 4 são as estações do ano…

Isso porque o Senhor quer mostrar a sua misericórdia, falando com todos os homens em todos os 4 pontos da Terra. Toda a humanidade nos quatro cantos da Terra seria atingida pelo Senhor.

Quando o Senhor diz que apenas um desses terrenos é terra boa, confirma aquilo que já havia dito:

“ O caminho que leva o homem ao Céu é estreito”, muitas são as dificuldades para tirar o homem do caminho, contudo o Senhor alerta ao homem: “ Cuidai para não entrar pele porta larga”.

O principal objetivo da parábola do semeador, é alertar ao homem para que entre pela porta estreita, siga o caminho estreito.

O ATO DE SEMEAR

Nos tempos bíblicos o ato de semear era algo muito sério. Na Palestina, terra é um negócio muito precioso.

Vejamos o Japão, atualmente onde o terreno é uma raridade, as pessoas costumam ter hortinhas em seus apartamentos, ao invés de flores, plantam hortaliças.

O semeador não desperdiçaria jogando sementes num terreno onde ele não soubesse que iria dar frutos.

Outra coisa eram os grãos. O semeador, quando semeava ficava num dilema: ou dava os grãos para alimento dos seus filhos, ou lançava na terra para e arriscava para ver se germinaria.

Ele não estaria ali para encher papo de pássaros.

Existiam leis cerimoniais para semeadura, e por este motivo podemos garantir que as sementes eram todas iguais, ou seja produziriam o mesmo fruto, pois não se podia semear numa mesma semeadura dois tipos de sementes.

SEMENTE À BEIRA DO CAMINHO (AO PÉ DO CAMINHO) v. 4

Quando falamos à beira do caminho pensamos logo em um caminho onde passam pessoas, animais, numa estrada propriamente dita, não é mesmo? Mas o caminho em que se refere a parábola, é o caminho que está entre as áreas de semeadura.

É um caminho que mal cabe os dois pés, geralmente caminha-se em linha reta, “um pé na frente outro atrás”. Com isso o chão ficava batido, duro.

v.19

Fala do coração em que todos pisam. Aceita qualquer doutrina ou ensinamento. Quando tal pessoa vem à Igreja, a mensagem cai no seu coração, mas não a entende pois é terreno batido, outras doutrinas conhecimentos informações já passaram por ali.

A semente não encontra lugar para germinar, logo as aves do Céu vêm e comem – vem o maligno, as informações que pairam, as doutrinas que não são do Senhor e mata a semente.

Mas se a Igreja com lágrimas interceder, as lágrimas regarão a terra (chão batido – coração que não absorveu a Palavra do Senhor), a terra será regada, o arado (Espirito Santo) afofará a terra, aí então naquele terreno, naquele lugar do campo de semeadura, a semente irá germinar.

SEMENTE NOS PEDREGAIS. v.5

Da mesma forma, o semeador não era distraído ou irresponsável de jogar as sementes num lugar onde houvesse só pedras.

Ele sabia que o pedregal não era lugar de semeadura, portanto não iria desperdiçar os seus grãos num lugar onde ele soubesse que não daria frutos. Pois bem, ao revolver-se a terra, preparando-a para a semeadura, poder-se-ia encontrar pedras, por baixo da terra. Quando as pedras ficavam a vista eram removidas, mas quando ficava por baixo terra, estava escondida, e o semeador ao lançar a semente, ela poderia mesmo cair numa terra onde aparentemente estaria fofinha, mas logo em baixo estava uma pedra.

Evidentemente a semente germinaria, mas ao querer aprofundar suas raízes logo encontraria um grande obstáculo. Morreria então aquela semente.

v.20-21

Fala do coração que ouve a Palavra do Senhor e logo recebe com alegria, mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração, e chegada a angústia e a perseguição por causa da Palavra, logo se ofende.

É o coração molinho, fofinho por cima, mas por baixo está a pedra (incredulidade).

Vem aos cultos, recebe uma bênção, fica louco para ir ao Manaim…, mas na primeira vez é tido como crente na sala de aula, nega toda a bênção recebida. A semente que já havia germinado, atrofia suas raízes e morre.

É o chamado “fogo de palha”- tem uma pedra por baixo.

O “arado” (Espirito Santo) pode no afofar desta terra trazer à tona as pedras que serão removidas, aí então não haverá impedimento para que a semente dê fruto.

SEMENTE ENTRE OS ESPINHOS

Como vimos, no terreno anterior, jamais o Senhor Jesus iria usar a figura de um semeador negligente para exemplificar o seu próprio trabalho de “anunciar as coisas do reino”.

Não lançaria semente nos espinhos e esperaria que desse frutos.

O espinheiro é como o mato, vegetação daninha, sem fruto aproveitável para o homem, por isso como o mato na terra, sem que cultivemos aparece e cresce, existem as sementes do espinheiro (mato). Vejamos o exemplo de uma construção em andamento, se pararmos a obra ali, passados alguns dias se formos observar logo aparecerão no terreno os matos. Sem semeadura, cuidado algum os matos tomam conta de tudo.

Na parábola, a semente estava ali naquela terra à disposição da natureza e quando a boas semente era lançada esta germinava, mas era sufocada pelo espinheiro pois cresciam juntos.

v.22

Fala do coração que ouve a Palavra do Senhor, mas as coisas ligadas a este mundo, ligadas à vida terrena, os cuidados com as coisas desta vida, sufocam a palavra e a mesma fica infrutífera.

A pessoa escuta a palavra, aceita recebe uma bênção, mas não consegue deixar as preocupações com a sua posição social (o que vão dizer meus amigos do prédio, lá da rua, da escola que são “badalados”? Será que vou ficar de fora do grupo? Vou estar bem vestido, (“ na moda”)? O que meus amigos vão achar de mim?

Este coração precisa de cuidados, discernimento para tirar os espinhos e a boa semente germinar.

SEMENTE EM BOA TERRA

Você veio à casa do Senhor, aceitou a Palavra e tem recebido uma benção. Alguém regou a sua terra com lágrimas, tirou suas pedras, observou se não tinha espinhos e a semente então germinou, e deu fruto 1 a 30, 60 e 100.

Mesmo na terra boa existe mais uma subdivisão, a semente que de uma que germine (Salvação) produz 30-60 – 100. O Senhor quer que todos nos produzamos frutos a 100.

Existem aqueles que vem, recebem a Salvação, entendem o plano de Deus para a Salvação do homem, mas não passam disso. Existem aqueles que além da Salvação, santificam-se ao Senhor e cada vez mais são usados para alimentar outros necessitados (dão frutos).

O Senhor quer que cada um de nós dê fruto – fruto em abundância.

Os frutos quando abundantes caem na terra, adubam o solo e aumentam as condições para que a árvore produza mais fruto ainda – frutos a 100. ”QUERO QUE TENHAIS VIDA E VIDA EM ABUNDÂNCIA”.

Gal.5:22

Um fruto Salvação Fruto do Espírito Santo.

O fruto do Espirito Santo é: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança etc.

Mais conteúdo

Estejam cingidos os vossos lombos

Convite e Rejeição

Livro – A mulher controlada pelo Espírito

A Parábola dos Trabalhadores

Levanta-te, resplandece

O caminho de retorno ao Jardim

Só Jesus acenda a Candeia

A certeza do descanso – Culto das Senhoras

botaodownload

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário