OS DONS ESPIRITUAIS NO NOVO TESTAMENTO

 

OS DONS ESPIRITUAIS

NO NOVO TESTAMENTO

O Senhor Jesus teve todos os dons.

1) Sabedoria

Jo. 8:3 – Os escribas e fariseus trouxeram-lhe aquela mulher adúltera, a fim de apanhá-lo em alguma contradição e poderem acusá-lo de alguma coisa.

Se Jesus tivesse dito: Podem jogar pedra nela. A lei manda que seja apedrejada, aqueles homens diriam assim: Mas Mestre, onde está o perdão que o Senhor prega? Onde está o amor?

Se Jesus tivesse dito: Mandem ela embora, aqueles homens diriam: Mas Mestre, e a lei? O Senhor não vai cumprir a lei?

Pela sabedoria humana, o Senhor Jesus só poderia dar uma dessas duas respostas, mas porque Ele tinha a sabedoria do Espírito, Ele disse: Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra.

Um deve ter olhado para o outro e devem ter pensado: Bom, eu jogo a segunda pedra. E como todo o mundo ficou na segunda, não aconteceu nada e todos foram embora.

 

 

2) Ciência

Lc. 19:2 – Zaqueu subiu numa figueira para ver Jesus que passava. Jesus olhou para ele e disse: Zaqueu, desce depressa porque hoje me convém pousar em tua casa.

Zaqueu deve ter pensado: Como é que ele sabe o meu nome? De onde ele me conhece? Como ele sabe onde eu moro?   Mas o Senhor Jesus já o conhecia mesmo antes que ele subisse naquela figueira.

 

3) Fé

É a direção do Espírito.

Mc. 14:36 – O exemplo disso Jesus dá no Getsêmani quando diz: Não seja porém, o que eu quero, mas o que tu queres.

4) Cura

Há muitos exemplos de cura. Vamos citar a cura de três cegos.

1ª) Jo. 9:1 a 15 – O Senhor Jesus curou um cego de nascença usando o lodo que Ele fez com a sua saliva e barro, colocou aquela mistura nos olhos do cego e mandou que ele lavasse no tanque de Siloé.

Essa é a dinâmica.

O barro é o homem sendo usado pelo Senhor.

A saliva é aquilo que sai da boca do Senhor, é a palavra do Senhor, é ela que cura. O homem é apenas o veículo; é como qualquer remédio, existe um veículo que faz com que aquele princípio ativo seja aplicado e faça efeito.

O Senhor usa o homem para chegar ao cego, mas o remédio é o que sai da boca do Senhor.

Mas é só isso?

Não, há um processo. O cego tinha que lavar-se no tanque de Siloé (que significa o Enviado).

Ele foi, lavou-se e voltou vendo.

2ª) Mc. 10:46 a 52 – Ele curou um outro cego em Jericó que estava sentado à beira do caminho onde Jesus passava. Ele clamava: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!

Jesus apenas perguntou-lhe o que queria, e ele respondeu dizendo: Mestre, que eu tenha vista.

E o Senhor lhe disse: Vai, a tua fé te salvou.

Esse cego fala daquele que sabe quem é Jesus, mas está à beira do caminho, ele precisa de uma experiência real do projeto na sua vida para entrar no caminho e andar nele.

3ª) Mc. 8:22 a 26 – Jesus também curou um cego em Betsaida.

Trouxeram-lhe um cego e ele o levou para fora da aldeia, cuspiu-lhe nos olhos e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe se via alguma coisa.

O cego disse: Vejo os homens, pois os vejo como árvores que andam.

Jesus tornou a pôr-lhe as mãos nos olhos e então o homem já podia ver ao longe e distintamente a todos.

Essa é a experiência do novo convertido. Ele entra aqui e fica perguntando o porquê de tudo.

Por exemplo, hoje deve ter alguém aqui querendo saber porquê nós não estamos dobrando os joelhos no clamor.

É por uma questão de falta de espaço. Nós não estamos inovando nada, não estamos criando nenhuma novidade, é só para não ficar um em cima do outro.

Aquele cego já podia ver perfeitamente, é a operação do Espírito Santo na vida do homem.

Estes três exemplos são importantes porque mostram que toda cura é profética, todo dom tem uma aplicação profética.

5) Maravilha

Há muitos exemplos.

1ª) Jo. 11:1 a 45 – A ressurreição de lázaro.

2ª) Lc. 7:11 a 17 – A ressurreição do filho da viúva de Naim.

3ª) Lc. 8:22 a 25 – Jesus acalma a tempestade. Certa vez Jesus entrou no barco com os seus discípulos e partiram. Jesus, porém, adormeceu. Enquanto Ele dormia, veio uma tempestade de vento no lago e o barco ficou cheio de água. Aquilo ficou muito perigoso e resolveram acordar o Senhor que ali dormia.

O Mestre está sempre ao nosso alcance. Quem não entende isso, não entra no barco, fica nos barquinhos que estão ao redor, e nesses Jesus não está.

Quando vem a tempestade só há um que a acalma, é o Senhor Jesus.

E não é qualquer barco, é o barco no qual Jesus nos convidou para entrar.

4ª) Mt 14:13 a 21 / Mt. 15:29 a 38 – As duas multiplicações de pães.

6) Profecia

Lc. 22:39 a 46 – Pedro precisava de muita profecia. Ele ficou tão importante que até virou dono de igreja.

Mt. 23:37 a 39 – Jesus profetizou a respeito da queda de Jerusalém.

7) Discernimento de espíritos

Será que houve discernimento de espíritos em Jesus?

 

Mt. 16:13 a 23 – Jesus perguntou aos seus discípulos: E vós, quem dizeis que eu sou? E Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo.

Jesus olhou para ele e disse: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque o meu Pai te deu essa revelação.

Pedro deve ter ficado todo empolgado: Glória a Deus! Essa ninguém teve…

Logo em seguida, Jesus diz: Vou para Jerusalém e serei morto lá.

Pedro pensou: Vou entregar outra. E disse: Isso não vai acontecer com o Senhor não, mas de jeito nenhum.

Então Jesus olhou para ele e disse: Para trás de mim, Satanás.

Pedro deve ter pensado: Misericórdia! Acabou comigo.

Ele entregou uma revelação maravilhosa e logo depois soltou aquela bomba, aquele negócio terrível.

 

8) Variedade de línguas

Jesus não falou em línguas porque quem fala em línguas edifica a si mesmo e Jesus já era edificado, mas Ele menciona o dom, quando diz: E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas. (Mc. 16:17)

 

9) Interpretação de línguas

É a revelação dada pelo Espírito Santo, juntamente com o dom de línguas, que serve como um sinal.

Igreja Fiel – Corpo de Cristo

Nós vemos todos os dons no ministério de Jesus, e por isso nós temos que ver todos os dons na vida da Igreja, que é o corpo de Cristo, senão a operação do Espírito Santo é incompleta.

Sabedoria – O primeiro dom

A Igreja às vezes falha na sabedoria e perde o dom. Se você falhar no discernimento do dom, você perde o dom, você invalida o dom..

Numa segunda-feira eu reuni os obreiros e disse: Eu quero uma experiência de cada um, do culto profético de ontem à noite.

Todo o mundo começou a contar, mas teve um que ficou muito empolgado: Pastor, eu quero contar uma experiência. O Senhor deu uma visão lá na igreja de uma moça que tinha uma horrível cicatriz que marcava o seu rosto até embaixo.

E eu perguntei: O que você falou para a Igreja?

Ele respondeu: Eu disse que naquela noite tinha entrado uma moça com um problema muito sério.

Eu disse: Você perdeu o dom. Moça com um problema sério??? Deviam ter umas trinta ali. Você perdeu o dom, você não discerniu o dom. O Senhor estava mostrando uma moça que tinha uma marca visível na sua vida, e essa marca fazia com que ela tivesse vergonha daquilo, ela procurava escondê-la, mas não conseguia, a ferida tinha sido grande e profunda. Você tinha que ter entregue o dom dessa maneira, porque do jeito que você entregou, eu não acredito que alguém tenha entendido, nem mesmo ela deve ter-se identificado com o sinal.

 

Quais são os cuidados a serem tomados com relação aos dons espirituais?

Nós precisamos ter cuidado com os dons espirituais. Nós estamos na hora de aperfeiçoarmos mais o uso de todos os dons. Nós não podemos usar os dons de qualquer maneira. O que deve ser feito?

 

Dizer o dom para a pessoa adequada.

Suponhamos que você é casada com uma pessoa que não crê. Para que contar o dom para o seu marido? Ele vai zombar.

 

Dizer o dom em local adequado.

Suponhamos que você está no seu local de trabalho e chega um irmão da igreja: Você viu, Fulano, aquela revelação? O anjo apareceu, não é?… E todo o mundo lá, ouvindo aquela conversa.

Dizer o dom de maneira adequada.

1) Como é que você entrega dom para uma criança?

Eu fui orar por duas crianças, uma de quatro anos e a outra de seis anos. Do meu lado estava uma irmã, abençoadíssima aquela irmã. Ela disse: Pastor, uma visão.

Eu, confiando na irmã… grupo de intercessão…: Fala, irmã.

Ela: Pastor, eu vi, no quarto delas, uma cobra com a boca aberta.

Eu olhei para a irmã, olhei para as meninas… uma olhou para a outra… e então a pequenininha disse: Eu não vou dormir mais lá não.  

O que é que eu ia dizer para a menina? Olha, minha filha, a cobra ali é o inimigo. Ia piorar ainda mais. Ou então: Olha, é cobra, mas não é uma cobra assim…

Eu disse para a irmã: Agora você resolve o problema.

 

2) Como é que você entrega dom para o visitante?

Eu estava junto de um rapaz, obreiro lá da minha igreja. Quase dei um tapa nele, se na Bíblia tivesse um caso de um tapa, um precedente, eu teria acertado ele.

Terminei de orar. O visitante era um homem de cultura. Aí, ele: Pastor, tive uma visão.

Eu ainda não estava calejado (Agora eu estou mais esperto. Esse pessoal assim… eu já me previno: Primeiro conta aqui no ouvido) e disse: Conta a visão.

E aí ele soltou: Eu vi um sapo atrás dele.

Meu Deus do céu! Ele ficou doido. Isso é maneira de falar? Contava para mim e eu dava o discernimento de dificuldade, arranjava uma maneira apropriada para passar o sinal.

Nós temos que ter muito cuidado com os dons para o visitante.

3) Como é que você entrega dom para a Igreja?

Nós temos que ter cuidado com os dons na igreja. Nós temos que ter cuidado com o dom que você lê aqui na frente, no culto profético. Você não pode pegar o dom que veio lá da reunião do culto profético e ler exatamente como ele chegou. É um perigo.

Exemplo: O Senhor mostrou um cachorro preto com uma pata branca, ele entrou aqui e ficou no meio da igreja.

Espera aí! Mas que loucura é essa? Não pode ser assim não. Onde está o discernimento? O que isto significa?

Outro exemplo: O Senhor mostrou numa visão, uma mulher toda vestida de preto e com óculos também pretos.

Você lê isso assim? Qual o discernimento?

O discernimento é: Há uma mulher aqui que está oprimida, ela não está conseguindo ver.

Às vezes o Senhor acrescenta mais algum dado ali mesmo na reunião do culto profético.

Esse cuidado é porque você não pode agredir ninguém, tem que discernir primeiro.

Discernir o dom de maneira adequada.

Também há o perigo de você reunir o grupo e trazer o discernimento errado.

Eu tenho um rapaz lá na igreja que tem uma deficiência mental, um retardamento. Ele é um rapaz que não causa nenhum problema, é um rapaz engraçado, veste-se como obreiro.

Dias destes, nós estávamos reunidos no culto profético e uma irmã disse: Pastor, tive uma visão. Eu vi um homem que entrava na igreja todo encurvado porque ele trazia nas suas costas uma caixa cheia de areia.

Eu disse: Eu não entendi nada. Alguém teve o discernimento? Eu não tive o discernimento.

Aí esse rapaz disse: É a religião dele.

Mas não é que ele acertou? A caixa de areia nas costas daquele homem era a sua religião. Exatamente isso.

Não alterar o conteúdo do dom.

Nós temos que ter cuidado com os dons porque tem gente que aumenta o dom. Eu não estou falando para principiantes não, se alguém vai-se escandalizar…

Eu perdi um dom na igreja que eu fiquei doente com o negócio.

A irmã: O Senhor me revelou que nesta noite entrou uma mulher aqui e ela está desesperada por causa de uma dor no seu lado direito. Ela não tem mais posição de tanta dor, mas o Senhor vai dar uma libertação a ela durante o culto.

Terminou o culto, atendemos todo o mundo. Estava lá um jovem senhor, muito alegre. Fomos até ele: Tudo bem? Alguma revelação com você?

Ele respondeu: Não, nenhuma revelação comigo, mas aconteceu um negócio comigo aqui, hoje. Rapaz, eu entrei aqui com uma dor no lado direito, horrível. Eu já tomei de tudo quanto era remédio e nada. Rapaz, durante o culto, alguém me tocou e a dor desapareceu totalmente, igualzinho ao caso dessa mulher que entrou aqui hoje com uma dor no lado direito também e que o Senhor revelou.

Meu Deus do céu! A mulher foi da cabeça do profeta.

Eu chamei a irmã e perguntei: O Senhor revelou que era uma mulher?

Ela respondeu: Não, eu entendi que era uma pessoa.

Eu perguntei: E por que você disse que era uma mulher?

Ela respondeu: É porque é mais fácil a mulher ter dor no lado direito.

Perguntei-lhe: Mas por que você não disse que era uma pessoa?

Ela respondeu: Na hora veio na minha mente que era uma mulher.

Eu disse: Perdemos o dom. Perdemos o dom só porque botou mulher no meio, se dissesse que era uma pessoa, teria resolvido o problema.

Nós precisamos aperfeiçoar os dons na vida da Igreja, zelar pelos dons.

O dom é aperfeiçoado no corpo.

Nestes dias nós estávamos no culto profético e uma irmã disse: O Senhor me deu uma revelação que entrava um homem de 83 anos aqui e que hoje é um dia especial para ele.

Eu disse: Não vou falar que ele tem 83 anos não.

Terminou o culto, aí eu disse: Hoje entrou um homem com mais de 80 anos aqui e hoje é um dia especial para ele.

Tinha um velhinho sentado lá atrás e eu fui atender.

Ele disse: Deus falou comigo.

_ Foi mesmo?

_ Foi. Hoje é o meu aniversário, é um dia muito especial para mim.

_ Que bom!

_ Hoje estou completando 82 anos.

Vejam, eu ia errar por 1.

Nós precisamos ter cuidado com os dons, nós temos que entender que o dom tem que ser completado, ele tem que estar dentro do corpo.

O dom não pode ser além da Palavra.

O dom não pode dizer uma coisa que a Palavra não diz. Exemplo: Hoje Eu estou dando aos meus servos o dom de cantar, ou o dom de intercessão, ou o dom de vitória.

Tem esses dons na Bíblia? Não.

O dom tem que estar dentro da Palavra.

 

O dom tem que estar submisso ao governo.

Há muitos dons que são mal discernidos e os irmãos entram em dificuldade porque não trazem para o ministério da igreja. Erram o discernimento e entram em dificuldade.

O dom não pode ser isolado. A pessoa tem o dom em casa, aquele negócio pessoal, familiar e aí está o problema porque o dom vem incompleto, por isso a experiência do corpo.

Há uns anos atrás, na época que o Brasil estava com uma inflação muito alta, um homem procurou-me: Amadeu, estou desesperado. Comprei um carro e a prestação dele este mês está maior do que o meu salário.

Eu perguntei: Mas como foi isso? Por que você comprou o carro?

Ele disse: O Senhor me deu um sonho e eu atendi.

Eu perguntei: Mas que sonho é esse?

Ele: O Senhor me deu um sonho em que eu pegava o meu carro velho, ia lá na agência e trocava por um novinho. Eu estava mesmo precisando. Glorifiquei ao Senhor e fiz o negócio.

Eu disse: Bem feito pra você. Você não teve discernimento. O Senhor estava falando da sua vida espiritual, não era de carro. Você perdeu o dom e ainda fez o que não devia.

As pessoas às vezes não sabem valorizar o dom.

O dom ensina, mas o exercício do dom também é muito importante e esse exercício do dom é na vida da Igreja. O dom não é para as nossas necessidades, ele é para a nossa edificação.

Eu tenho muito medo de dom misturado com coisa material. O dom é espiritual, ele sempre traz projetos espirituais. Ele só fala de coisas materiais quando isso que é material está ligado ao espiritual.

Um dia eu cheguei no meu consultório e encontrei a minha secretária chorando.

_ O que houve?

_ Nada não, senhor.

_ Está acontecendo alguma coisa.

_ É que o Fulano de Tal veio aqui e disse que teve um sonho. Ele sonhou que estava de terno e eu vestida de noiva, entrando com ele na igreja. Mas eu não gosto dele. Tenho pavor dele. Como é que o Senhor vai fazer isso comigo?

Eu chamei o rapaz: Você ficou maluco?

_ Mas eu consultei ao Senhor.

_ Mas você tinha que ter esperado, tinha que deixar acontecer, confirmar no coração. Quem sabe, um milagre? Ela não gosta de você. Você estragou tudo.

O dom não é de particular interpretação.

Você chega e diz: Pastor, o Senhor me revelou que hoje a mensagem está comigo.

Se o Senhor revelou que a mensagem está comigo, eu vou sentar quietinho e vou conferir no coração.

Um dia eu estava em casa e um obreiro me telefonou: Amadeu, não estou entendendo vocês.

_ De onde você é?

_ Eu sou da igreja tal (a 300km da cidade de Vitória).

_ O que é que está havendo?

_ Vocês não me ungiram ainda. Eu já tive dezenas de revelações com a minha unção.

_ Então você vai continuar tendo. Você precisa ler a Bíblia e lá diz que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. (II Pe 1:20)

 

As experiências com os dons fazem a Igreja crescer.

A igreja que tem experiência com dons, é uma igreja que cresce. Uma das coisas mais notáveis na vida do crente é a experiência com os dons. A igreja que não usa isso, que não exercita isso com sabedoria, é uma igreja que tem dificuldade de crescer. Os dons são consolidados no corpo, eles se completam no corpo e se consolidam na vida da Igreja, mas é necessário que os dons sejam tratados com zelo.

Amém.

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário

Novidades do site

Assine e confirme no seu email