JESUS A FONTE (João 4:15-16)

 

 

INTRODUÇÃO:

Na experiência da mulher samaritana está evidenciada a grande necessidade do homem – a sede da alma. Mas quando ela chega ao poço de Jacó ela encontra uma outra fonte: a fonte das águas vivas – Jesus. No diálogo simples com Jesus logo se destaca o contraste entre aquilo que a mulher pensava ser a benção e aquilo que, de fato, Senhor a fonte trazia para ela.

 

DESENVOLVIMENTO:

A noção da benção:

Para o mundo – a solução de um problema material, que atenda a uma necessidade imediata e que torne melhor a vida neste mundo. Não tem o sentido do compromisso e nem a preocupação com a regeneração.

Para a igreja – uma operação do Espírito Santo na vida do homem que objetiva conduzi-lo á salvação. Nesta operação está a eleição, o chamado, processo, a nova vida e todas as formas como deus sustenta e direcionada o homem ao caminho reto.

Todos querem a benção. Todos como a mulher, querem provar da água (“… dá-me dessa água…”).

Todos querem ser abençoados – ter seus problemas resolvidos, suas enfermidades saradas, uma condição melhor nesta vida… Quem não gosta disso? Mas, como a mulher “não querem ter mais sede e nem voltar…”. Fala do alcance da benção no seu sentido apenas físico. Não querem compromisso com o Senhor, “… não querem voltar”. Querem viver esta vida, misturados com aquilo que desagrada a Deus, sem culpa alguma, desfrutando do presente sem preocupação com o espiritual “… não ter sede…”.

 

Jesus, a fonte, mostra para a mulher que a verdadeira benção não se recebe assim.

 

Os requisitos da verdadeira benção

 

“Vai chama o teu marido…”

 

1º – Consciência do pecado – no pedido de Jesus ela é despertada e passa a ter uma consciência de falhas e de erros que despreza anteriormente.

 

Se da conta da realidade do seu estado e da sua condição “não tenho marido…”

 

Na busca da benção, compreende a distância que separa o pecado do homem, da santidade de Deus.

 

“… e vem cá”.

 

2º Consciência de um compromisso – era preciso voltar à presença de Jesus. A benção, como um segredo das madrugadas, da fidelidade, da obediência, do clamor incessante, do vem para agradecer, do que busca ao Senhor.

 

3º – A valorização do corpo – é o marido presente, a família unida, o lugar seguro, a comunhão através do sangue (Espírito Santo), igreja como corpo – organismo que tem vida.

 

CONCLUSÃO:

Jesus, a fonte, quer se abrir para a necessidade do homem, mas, sobretudo, quer leva-lo para a vida eterna.

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário