Efésios 3:17-19 – Amor de Deus

Efésios 3:17-19 – Amor de Deus

AMOR DE DEUS

Efésios 3:17-19 “Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor, poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.”

INTRODUÇÃO

Quando falamos do Amor de Jesus por nós, quando pela fé Ele habita em nossos corações, descobrimos as medidas que são insondáveis pela razão humana.

DESENVOLVIMENTO

Paulo diz que o Amor de Deus é absoluto e quer atingir cada aspecto de nossa experiência com Ele, e também nossas vidas.

O versículo 18 de Efésios 3 nos fala das quatro dimensões insondáveis do Amor de Cristo ou As quatro extremidades da Cruz: largura, comprimento, altura e profundidade.

1) Largura – Abrange a todos indistintamente; porque Jesus disse: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura”. (Marcos 16:15)

O amor de Deus é amplo, vai além de nossa experiência e alcança o mundo inteiro. Deus quer nos usar aonde quer que estejamos com Seu amor.

2) Comprimento – Abrange todos os tempos; diz a Palavra: “…assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor…”. (Efésios 1:4) e ainda lemos: “Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento”. (2 Pedro 3:9)

O amor de Deus é extenso, cobre a duração de nossa vida. Deus quer que todos ouçam o evangelho, pois não deseja que ninguém pereça eternamente. Ele nos deu Sua graça salvadora sem olhar para qualquer mérito nosso. Deus quer nos usar hoje, porque a salvação é uma caminhada diária e constante.

3) Altura – Deus estendeu-se até ao céu para trazer o Filho Amado esvaziado de Sua Majestade para onde também nos levará; diz a Palavra: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz”.

(Filipenses 2:5-8) Diz a Palavra também: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vô-lo teria dito: Vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver, estejais vós também”. (João 14:1-3)

O amor de Deus é elevado, atinge as alturas de nossa celebração e exaltação, Cristo é o maior incentivo para a humildade, a autonegação e o amor, atingindo seu ponto culminante na Sua própria morte. Deus compreende nossas limitações e nos ensina a sermos servos humildes, obedientes e amorosos para transmitirmos a Palavra de Salvação.

4) Profundidade – Jesus suportou sofrimento infinito para expiar os nossos pecados; “…levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados”. (1 Pedro 2:24)

O amor de Deus é profundo, alcança as profundezas do desânimo, do desespero e até da morte, pois carregou os nossos pecados na cruz, tomando para si a penalidade dos nossos pecados. Livrando-nos totalmente da culpa, poder e influência do pecado, dando-nos vida em Deus. Cristo é nosso Redentor e pelas Suas feridas fomos sarados. Deus nos perdoa e capacita-nos para transmitirmos esse Grande Amor.

A Palavra de Deus por si fala, quando Cristo habita nosso coração pela fé e nos arraigamos e alicerçamos em amor como um edifício em um sólido fundamento, passamos a compreender e conhecer, com todos os santos, experimentando o amor de Cristo em todos os sentidos, que excede todo entendimento humano e assim sermos tomadas de toda a plenitude de Deus, para que reflitamos e manifestemos, desde o íntimo do nosso ser, o caráter e a estatura do Senhor Jesus Cristo.

Deus nos ama tanto, mas tanto. O amor é um sentimento, mas Seu amor por nós é tão grande e tão maravilhoso, que é como se pudéssemos apalpar esse amor. É um amor incondicional, indescritível.

Não há amor maior que o Amor de Deus por nós e, Ele quer que conheçamos em essência todas as medidas deste amor em: largura, comprimento, altura e profundidade para que, mesmo sem entendermos ou compreendermos qualquer circunstância de nossas vidas, possamos sentir esse Amor para assim amá-lo, agradecê-lo e glorificar Seu Nome e, cheias desse amor amar ao nosso próximo e até aqueles que não nos querem bem, fazendo a Obra de Deus nesses últimos dias.

Oremos como Paulo e peçamos ao Espírito Santo que preencha todos os aspectos de nossa vida até transbordar para que tenhamos uma espiritualidade ampla, balanceada através da participação em todas as bênçãos, recursos e sabedoria de Deus. O crente em quem o amor de Cristo está trazendo a plenitude de Deus aprende a pedir e esperar grandes coisas dEle.

A grandeza do amor de Deus nos garante segurança, não teremos qualquer temor se crermos nessa garantia tão maravilhosa.

CONCLUSÃO

Quando nos sentimos aprisionados ou isolados, lembremos de que nunca estaremos perdidos para o Amor de Deus. Seu Amor é infinito e inexaurível. O amor de Deus por nós é inesgotável, não enfraquece nunca, mas nos fortalece. Nunca é desperdiçado. Então vamos respirar esse maravilhoso amor, cantar esse doce amor, caminhar esse perfeito amor, viver esse grande amor, porque Deus provou seu amor para conosco quando Seu Filho morreu por nós naquela cruz ainda pecadores! (Romanos 5:8) Amém! “Jesus nos ama”


botaodownload

Gostou? Então compartilhe

Este post tem um comentário

  1. Maravilhoso Deus, amei esta publicação.

Deixe uma resposta

Fechar Menu