Perseverar – Samuel 1:12

A IMPORTÂNCIA DE PERSEVERAR

  • Samuel 1:12 “E sucedeu que, perseverando ela em orar perante o Senhor, Eli fez atenção à sua boca.”

 

INTRODUÇÃO

As circunstâncias na vida do crente surgem porque Deus tem um propósito. Que propósito é este, compete a Deus saber. Mas um deles é nos levar a ter uma experiência com a oração. Foi o que aconteceu com Ana. A sua amargura a levou a transpor o limite natural do homem para alcançar o sobrenatural de Deus.

 

DESENVOLVIMENTO

Começamos esta mensagem frisando uma coisa: Há uma diferença entre orar e perseverar em orar. Aqui podemos aprender algumas lições maravilhosas na experiência de Ana.

  • PERSEVERAR: CONTINUAR

A oração de Ana era uma oração de PERSEVERANÇA, ou seja, continuou na fé. Muitos quando são provados não perseveram, a mente não e a mesma, se desgastam com o tempo. A mente de Ana não mudou. Sua fé não mudou. A oração que sobe ao Senhor é daquele que persevera, que não muda, que tem a mesma fé inabalável e que o tempo não pôde corromper.

Exemplo: “Diga ao povo que marche…” (Êxodo 14)

Era pra continuar caminhando. Deus não disse que ia abrir o mar, disse que era pra o povo continuar…PERSEVERAR.

Quando o crente persevera, não sabemos o que vai acontecer, mas algo vai acontecer. Não que a graça de Deus dependa do homem para o alcançar, mas a fé exercida pelo crente o faz sair do plano terreno para o plano profético.

O resultado de perseverar = O mar se abriu

Não perseveramos perante os homens, não perseveramos porque somos fortes. Perseveramos PERANTE O SENHOR.

  • ANA TINHA MUITAS NECESSIDADES, MAS UMA DESTAS É QUE A FAZIA PERSEVERAR: O DESEJO DE GERAR

O vontade de Ana também era a vontade de Deus, pois iria trazer a restauração de Israel.

Ore para que sua experiência através da oração sirva de testemunho para EDIFICAR outros irmãos.

O que fez ela perseverar foi a necessidade de gerar. Quando oramos entendendo e discernindo que o que estamos pedindo está de acordo com a vontade de Deus e sentimos o intenso desejo de que sua Obra seja gerada dentro de nós, conseguimos perseverar o tempo que for preciso.

 

  • ANA NÃO ORAVA POR ORAR. ELA DEPENDIA DA ORAÇÃO
  • O fervor para orar existe na medida que o servo depende da oração;
  • A sua paz, o seu descanso, o seu alívio, não estavam no estado das circunstâncias, ou seja, não dependia das circunstâncias, não dependia de Penina. Dependia da oração. A oração é um recurso da graça que acalma a

 

  • ELI OBSERVOU A SUA BOCA

Quando as pessoas iam ao templo de Siló orar (que era uma tenda que foi armada para o tabernáculo, após se estabelecer em Siló, Conforme Josué 18:1), as orações, geralmente, eram em voz alta e curtas. A oração de Ana foi diferente.

Aqui está o diferencial na vida do servo: Quando o servo persevera, ele sai do plano terreno, o que se pode ver com os olhos naturais (a voz alta) e as coisas em sua vida passam a acontecer movidas pelo plano profético, da intimidade com Deus, que se pode ver somente na revelação (voz silenciosa).

A oração da igreja fiel está escondida aos olhos da razão porque a igreja persevera (a oração de Ana). E essa atitude levou Ana a viver a experiência de gerar.

Quando isso não acontece, não se enxerga o espiritual, só o exterior.

Por que Eli observou a boca de Ana? Porque ele não podia enxergar o espiritual e provavelmente estava sentado (Os sacerdotes costumavam ficar sentados no templo, observando as orações).

Quando se está envelhecido e acomodado, é porque não houve perseverança, e não se enxerga o valor da oração. Não enxerga o espiritual, não tem acesso aos mistérios de Deus. Por isso aquele que não persevera vê os milagres de Deus de longe (Eli estava sentado e via tudo aquilo de longe).

 

CONCLUSÃO

Aqui estão as duas experiências com a oração:

1-  PERSEVERAR EM ORAR

Quando se persevera em orar, se tem acesso as coisas espirituais e aos milagres de Deus;

2-  VER SOMENTE A BOCA

Quando não há a perseverança na oração, somente se tem acesso ao material e não se tem acesso a intimidade de Deus nem as coisas espirituais.

A perseverança e fidelidade se prova no pouco… Quando temos pouco para oferecer. Pouca paz, alegria, sonhos e expectativas realizados, pouco recurso, na enfermidade, dores, frustração, perseguição, embates.

Quando perseveramos em meio a tudo isso, sobre o muito seremos colocados. Servimos, somos fiéis, perseverarmos, não pelas circunstâncias presentes que nos cercam, mas pelo muito que nos foi reservado. A qualidade de tudo que é eterno: Vida, paz, alegria, satisfação. Tudo em abundância.

“Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” 2 Coríntios 4:18

Qual a experiência com a oração que você quer ter? Perseverar ou ver somente a boca?

 

Gostou? Então compatilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *