Dorcas, a que serviu na obra – Culto das Senhoras

Dorcas, a que serviu na obra – Culto das Senhoras

DORCAS, A QUE SERVIU NA OBRA

TEXTO: ATOS 9.39

“E, levantando-se Pedro, foi com eles. Quando chegou, o levaram ao quarto-alto, e todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando as túnicas e vestes que Dorcas fizera quando estava com elas. ’’

INTRODUÇÃO

“Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de rubis. Abre a o ao aflito; e ao necessitado estende as mãos. ” – Provérbios 31.10, 20

Dorcas uma mulher virtuosa. Era judia, convertida ao cristianismo, vivia em Jope, cidade da Costa do Mediterrâneo. Seu nome é de origem grega, mas em aramaico quer dizer Tábita, cujo significado é “gazela”.

Dorcas servia aos necessitados, seu cuidado maior era com as viúvas. Ela possuía muitas virtudes, era amorosa, cheia de boas obras, foi muito útil à Igreja.

DESENVOLVIMENTO

O capítulo 9.31 de Atos dos Apóstolos nos relata que as igrejas em toda a Judéia, Galiléia e Samaria tinham paz e eram edificadas, e se multiplicavam, andando no temor do Senhor e na consolação do Espírito Santo.

O andar dos servos no temor do Senhor os fazia alcançar os objetivos do projeto de Deus, amar uns aos outros, por isto o Senhor operava consolação do Espírito Santo. O agir do Espírito Santo se dava no meio da Igreja, consolavam uns aos outros. Era necessário o testemunho de Cristo na vida da Igreja que vivia seus primeiros momentos, dias difíceis.

Deus encontrou na vida de Dorcas lugar para operar as virtudes do Espírito Santo, não era só atos de bondade, atos humanos, mas uma virtude. Eram atos movidos pelo Espírito Santo, movidos pelo amor.

Dorcas a única mulher que foi chamada de discípula (Atos 9.36). Discípulo é aquele que anda, conhece e deseja fazer o que o Mestre ensina. Aquele que conhece e anda com o Senhor Jesus é gerado dentro dele o amor. Dorcas aprendeu a amar o Senhor.

Jesus deixou uma identidade para os seus discípulos que é o amor: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. ” – João 13.35

Dorcas amava ao Senhor Jesus, ela possuía olhos voltados para as necessidades das viúvas.

Usava suas habilidades com as mãos para costurar roupas e vestir as viúvas, fazia tudo para o Senhor. Ela abriu a sua alma ao aflito, cobria a nudez do necessitado, como o ensino do Mestre quando Ele disse no final do sermão profético: “Estava nu e vestiste-me. ” Mateus 25.34-36

Dorcas enfermou e faleceu, Pedro foi chamado. Quando chegou, o levaram ao quarto alto e todas as viúvas o rodeavam, chorando e mostrando as túnicas e vestes que ela fizera quando estava com elas. Pedro orou e disse: “… Tabita levanta-te. E ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, assentou-se.” – Atos 9.40

O nome de Jesus foi glorificado na vida desta serva. O Senhor encontrou nela uma vida pronta para que o nome dele fosse proclamado, uma vida na qual o nome de Jesus era identificado, vida que exalava o bom cheiro de Cristo, uma vida em que se podia ver o fruto do Espírito Santo.

CONCLUSÃO

O Senhor Jesus nos tem chamado para a realização de um trabalho, “O Trabalho das Senhoras”. Ele, o Senhor, quer encontrar em nós lugar para que as virtudes do Espírito Santo operem em nós, para que haja um mover do Espírito Santo em amor

pelo trabalho, pela visitação, pelo socorro aos necessitados, pela assistência e pelo consolo uns aos outros em oração, madrugadas, jejum, amor e misericórdia.

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. ” – I Coríntios 13.1 – A Igreja vive o momento do tempo do fim, dias trabalhosos, e por isso, ela deve zelar, doar-se, para que as virtudes que há em cada uma das servas seja como aroma suave, o bom cheiro de Cristo.

“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estas três; mas a maior destas é o amor. ” – I Coríntios 13.13.

 

 

Gostou? Então compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu