Espírito Santo na Igreja Primitiva – Atos 1:8

AÇÃO DO ESPÍRITO SANTO NA IGREJA PRIMITIVA II

Estudo para JOVENS

Texto: Atos 1:8

Objetivos:

              – Comparar a ação do Espírito Santo na Igreja Primitiva, com a realizada na Igreja dos nossos dias.

              – Levar o jovem a buscar, com entendimento e zelo, o batismo com o Espírito Santo e os dons espirituais.

              Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.

1) INTRODUÇÃO

              A promessa de Jesus foi cumprida – a vinda do Consolador. No dia de Pentecostes, o Espírito Santo havia sido derramado com grande poder. Começa, então, a grande obra evangelizadora, acompanhada de sinais, gerando os primeiros frutos na vida da Igreja: curas, vidas transformadas, operações de maravilhas. A Igreja inicia sua caminhada vitoriosa direcionada pelo Espírito Santo.

2) EXEMPLOS DA OPERAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO NA VIDA DA IGREJA REGISTRADOS NO LIVRO DE ATOS:

           a) O Discurso de Pedro – Pedro prossegue no Caminho, sob a orientação do Espírito Santo, abre sua boca com sabedoria e poder, falando em nome de Jesus – Atos 3-11-26 e Atos 1-31:

* Após a cura do coxo, o povo atônito com os sinais corre para junto de Pedro e João, no pórtico do templo (Atos 3:12). Pedro aproveita a oportunidade de evangelizar e faz um discurso; suas palavras traziam o esclarecimento da Verdade, Pedro explica que foi a fé em Jesus que deu ao coxo, a perfeita saúde (Atos 3:16) e faz um apelo ao arrependimento dos pecados e conversão de todos, para que os que ali estavam, pudessem conhecer o refrigério do Senhor (Atos 3-17-21).

* Em conseqüência de estarem ensinando ao povo e anunciando a ressurreição de Jesus, foram presos pelas autoridades (Atos 4:2), porém, muitos que ouviram a palavra, creram e o número de conversões elevou-se a quase 5.000 pessoas (Atos 4:4).

* No dia seguinte, foram interrogados pelas autoridades, e Pedro, cheio do Espírito Santo, responde a todas as perguntas sobre a cura do coxo, confirmando que agia em nome de Jesus Cristo, o único capaz de salvar o homem (Atos 4:5-12).

* Mais sinais da operação do Espírito Santo tornam-se visíveis a todos – as autoridades ali presentes vendo a intrepidez (determinação, ousadia) de Pedro e João e percebendo que eram homens iletrados e indoutos (não eram cultos), se admiravam; e reconheciam que eles haviam estado com Jesus (Atos 4.13); e, também, não podiam negar o benefício operado – a cura do coxo – o homem que fora curado estava ali em pé diante de seus olhos, nada tinham que dizer em contrário (Atos 4:14).

* Diante de sinais tão evidentes do poder de Deus e preocupados em perderem suas posições e privilégios de autoridades junto ao povo, ameaçam aos servos proibindo-os de pregarem em nome de Jesus (Atos 4:15-17). Pedro e João não esmoreceram diante da perseguição e disseram: não podemos deixar de falar das coisas que temos visto e ouvido (Atos 4:20). Foram ameaçados, mas depois soltos, “porque todos glorificavam a Deus pelo que acontecera” (Atos 4:21).

 

           b) A conversão de Paulo – um homem visivelmente transformado pelo Espírito Santo – Atos 9

* A morte de Estevão não foi uma derrota mas um marco – a partir daquele dia, iniciou-se a grande perseguição contra a Igreja que estava em Jerusalém; e muitos servos foram dispersos pelas regiões da Judéia e Samaria, tendo os apóstolos permanecido em Jerusalém (Atos 8:1). Tudo previsto pelo Senhor para que a Obra do Espírito Santo fosse ainda mais conhecida e vitoriosa.

Um dos principais perseguidores dos discípulos de Jesus era Saulo de Tarso, judeu de origem, com cidadania romana, homem culto, educado por grandes mestres de Jerusalém, zeloso da lei. Saulo “respirando ameaças e morte contra os discípulos do Senhor” resolve ir a Damasco com a intenção de prender todo os discípulos que encontrasse (Atos 9:1-3), quando teve o encontro com Jesus que o transformou em um dos mais dedicados servos do Senhor.

Ele mesmo testemunhou em Atos 22:3-9 como sua conversão foi imediata:

+ “seguia para Damasco, com o fim de trazer algemados a Jerusalém aqueles que ali estivessem, para que fossem castigados” v.5 Paulo pensava que possuía poder, confiando nas cartas que levava, seu propósito era de destruição, achava que estava com o poder nas mãos – queria manietar(algemar) os servos de Jesus mas, o Senhor não permitiu que o trabalho de evangelização – sua Obra fosse impedida.

+ “Aconteceu, porém, que, quando caminhava e ia chegando perto de Damasco, pelo meio-dia, de repente, do céu brilhou-me ao redor uma grande luzv.6 Luz = manifestação poderosa da presença Jesus = O “Haja Luz” das aulas anteriores.

+ “Cai por terra e ouvi uma voz que me dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? v.7

+ Eu respondi: quem és tu, Senhor? – Saulo, reconhece imediatamente o verdadeiro Senhor da vida. A presença do Jesus na vida de Saulo leva-o a descer do alto das suas certezas religiosas e confiança em si mesmo, tornando-o submisso à Sua vontade;

+ “Disse-me: eu sou Jesus o nazarenov.5 Jesus se apresenta a Saulo como o nazareno pois, assim ficou conhecido, confirmando as profecias sobre ser ele o Cristo (Mateus 2:23para que se cumprisse o que fora dito pelos profetas: Ele será chamado nazareno). Saulo era conhecedor das profecias enquanto letra, agora, pode entender as revelações sobre Jesus contidas nas Escrituras.

+ …a quem tu persegues.” v.5 – O Senhor mostra a Saulo que perseguir seus servos era perseguir o Corpo de Cristo, a sua Igreja.

 

* Na mesma ocasião do encontro de Paulo com Jesus, foi necessária a cooperação de um servo chamado Ananias, que habitava em Damasco, para dar continuidade à obra do Espírito ocorrida na vida de Paulo. Os dons do Espírito Santo manifestam-se na vida de Ananias – o próprio Senhor aparece a ele em uma visão (Atos 9:10- 2), orientando-o a orar e a impor as mãos sobre Saulo.

* Paulo depois de batizado, com a visão recuperada, tornou-se pronto para o serviço na Obra (Atos 9:17-18). Logo, começou a pregar ousadamente dando testemunho de Jesus (Atos 9:20-22). Muitos servos temeram, não acreditando que o perseguidor agora era um dos discípulos, mas a transformação de Paulo em servo de Jesus foi confirmada.

 

c) Cornélio – o início da Igreja gentílica – Atos 10

Cornélio era um centurião romano de Cesaréia da Palestina, participava, com sinceridade de coração, das práticas religiosas dos judeus. “Piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo e, de contínuo, orava a Deus” (Atos 10:2). Foi o primeiro gentio convertido, converteu-se ele e sua família através da operação do Espírito Santo:

 

Os sinais na vida de Cornélio:

– Viu claramente numa visão um anjo de Deus (Atos 10:3);

– O anjo confirma que as orações e as esmolas de Cornélio tinham subido para memória diante de Deus. (Atos 10:4);

– O anjo transmite uma orientação do Senhor; que ele enviasse homens a Jope para trazerem Pedro até ele. Cornélio crê, obedecendo prontamente e, com sabedoria, escolhe os homens que enviaria a Pedro (Atos 10:5-8).

* Pedro entendeu prontamente a visão e seguiu até a casa de Cornélio que já o aguardava com seus parentes e amigos mais íntimos. (Atos 10:21- 24). Pedro ouve de Cornélio o relato da visão e abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço, por verdade, que DEUS NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS; mas que lhe é agradável àquele que, EM QUALQUER NAÇÃO, o teme e faz o que é justo.”

* Pedro prega, aos gentios reunidos na casa de Cornélio, a doutrina dos apóstolos – vida, morte e ressurreição de Jesus (Atos 10: 34-43).

O derramar do Espírito Santo sobre os gentios:

    – “E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra.. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios(Atos 10:44-45).

     – E foram os gentios batizados em nome do Senhor“Respondeu, então, Pedro: Pode alguém, porventura, recusar a água, para que não sejam batizados estes que também receberam, como nós, o Espírito Santo?” (Atos 10:47- 48).

3) CONCLUSÃO

              Como vimos os sinais que seguiram a operação do Espírito Santo na Igreja primitiva não foram só os milagres de cura, mas também:

– O testemunho visível dos servos;

– A fé determinada na hora da provação;

– A palavra sendo levada com sabedoria e na direção do Espírito;

– As transformações de vida operadas pelo Espírito Santo;

– O aproveitamento e aperfeiçoamento das características individuais na Obra;

– Os benefícios do batismo com o Espírito Santo e dos dons espirituais na vida da Igreja.

– O Espírito Santo ajudando a discernir todas as coisas.

– A Salvação estendida à família, aos amigos;

– A glorificação de todos por terem sido incluído no plano de Salvação – “E os gentios, ouvindo isto; alegraram-se e glorificavam a palavra do Senhor, e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna(Atos 13-48).

de servir ao Senhor – “E os discípulos estavam cheios de alegria e do Espírito Santo” (Atos 13: 52).

O evangelho de João termina afirmando que muitas outras coisas Jesus fez que nem ainda no mundo inteiro caberiam nos livros que se escrevessem (Jo 20:25). O livro de Atos conclui com a dinâmica da Obra do Espírito Santo – o reino de Deus sendo pregado, e as coisas concernentes ao Senhor Jesus sendo ensinadas com toda a a liberdade, sem impedimento algum (Atos 28:31) – o que prossegue em aberto até a volta de Jesus pois, o mesmo Espírito Santo que agiu na vida da Igreja Primitiva, é o que age hoje, concedendo os mesmos benefícios que devemos buscar em nossas vidas.

Gostou? Então compatilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *