Pular para o conteúdo

A Obra Criadora

2ª Aula: A Obra Criadora II

 

Texto: Gn 1:1-19

 

INTRODUÇÃO

“No princípio criou Deus os céus e a terra” Gn 1:1

Já vimos que Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo, a Trindade, estavam na Obra Criadora.

A terra era sem forma e vazia e havia escuridão.

Comparamos a situação do homem sem Deus como esta terra:

Sem forma: anda no mundo sem saber para onde vai, caminha para a morte, seu coração é vazio, sem paz, sem alegria, sem esperança.

 

Vazio: não tem as bênçãos do Espírito Santo, está longe de Deus por causa do pecado, da desobediência.

Trevas sobre a face do abismo: nas trevas, na escuridão sem enxergar o caminho onde pisa, vai cair no abismo.

O Espírito Santo se movia: Nestes dias em que o mundo está caminhando nas trevas, o Espírito Santo está operando, mostrando o amor de Deus Pai em salvar através do Senhor Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado e faz o homem, todos, enxergarem o caminho de luz que é Jesus.

AÇÃO DE DEUS: (Gn 1:4)

1º Dia – (hino sobre a luz)

Disse Deus: “Haja luz e houve luz. E viu Deus que era boa a luz”.

Bem, Deus viu logo que era preciso separar a luz das trevas. E logo as separou e chamou a luz Dia e às trevas chamou Noite.

Um ensino temos aí: Não se pode andar na luz e nas trevas, no escuro, ao mesmo tempo, por isto Deus separou a luz das trevas.

Por este motivo Deus enviou seu Filho, Jesus, pois o mundo está em trevas, e o homem não tem direção para a sua vida.

O Senhor Jesus é a luz e Ele disse que os que o recebem em seus corações não vão andar nas trevas, mas na luz. Ele, Jesus, deu um exemplo: I Jo 1:7; I Jo 2:9 – Luz e Trevas duas coisas separadas.

Deus viu que isto era bom: andar em Jesus, na luz.

2º Dia – Gn 1:6-8

Haja uma expansão – Esta expansão Deus chamou Céu, firmamento. Havia águas criadas por Deus em cima, eram as nuvens e águas em baixo da expansão e Deus separou as águas de baixo e de cima. “E viu Deus que era bom”.

Deus sabia da necessidade destas águas e as fez com um propósito para o homem não ter falta de água.

Se nós bebermos só das águas de baixo teremos sede da água da vida, que vem de cima, como a mulher de Samaria, que só tinha a água do poço, e Jesus ofereceu água da vida e ela teve sua vida mudada.

(Hino Águas de Salvação).

3º Dia – Gn 1:9-13

As águas estavam espalhadas por toda parte e Deus, neste terceiro dia, deu uma ordem: às águas que estavam espalhadas – “Ajuntem-se as águas debaixo dos céus e apareça a parte seca”.

Que surpresa maravilhosa!

As águas obedeceram à voz do seu Criador e se ajuntaram e Deus viu a terra aparecer! Que grande surpresa o planeta terra que Ele preparou para o homem morar! (At 17:26 – muito importante ler o texto)

Já havia luz (dia), trevas (noite), água, tudo que o homem iria precisar.

Deus continuou a sua Obra Criadora. Mandou que nascessem plantas rasteiras, gramas, ervas verdes, cada espécie com as suas sementinhas. Criou também árvores grandes, altas, árvores pequenas com seus frutos e suas sementes, tal qual temos hoje conosco. Quanta surpresa! Sementes grandes, médias e pequenas. Cada uma conforme a sua espécie.

“E viu Deus que era bom”.

Obs.: As professoras providenciarão figuras de árvores, hortas, flores, saquinhos com vários tipos de sementes, para ilustrar a aula, principalmente dos pequenos e intermediários.

4º Dia – Gn 1:14-19

Neste dia Deus criou os luminares para os céus.

Deus disse: “Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos”.

Os luminares são muitos. Olhar o céu em noite estrelada, ver a via Láctea tão cheia de estrelas, que recebeu este nome, caminho de leite. O Cruzeiro do Sul, uma linda constelação vista no Brasil que fica no lado sul (hemisfério sul). Nos EUA não se vê porque fica na América do Norte. É tão bonito o que Deus fez!

Então o Sol governa o dia. Ele tem luz própria, muito forte. É uma estrela muito, muito grande. Ele é representado pelo Senhor Jesus, que é o Sol da Justiça.

A lua brilha à noite, ela recebe luz e calor do Sol. É muito interessante, ela não tem luz dela mesma, mas não faz mal, ela brilha com a luz do Sol.

A lua é como a Igreja do Senhor, ela anda na luz que vem do Senhor e ela brilha e faz o céu muito bonito, claro.

As estrelas são como nós, como candeias acesas.

Já repararam a noite? O céu escuro e os pontinhos de luz luminosos no meio da escuridão? Nós vivemos num mundo cheio de pecado, escuro, mas com a luz de Jesus brilhando em nossos corações, cantamos, louvamos, falamos de Jesus aos outros.

Muitas pessoas olham as crianças, os adolescentes e dizem: – Eles são diferentes. A luz que eles têm não são trevas!

– Que quer dizer isto?

– Não falam palavras sujas, feias, não roubam objetos dos outros, não respondem mal aos professores, falam do Senhor Jesus, convidam para conhecerem ao Senhor. São mesmo como diz a Bíblia: “Resplandeceis como astros no mundo”. Fl 2:15b

Deus nos quer assim, como estrelas que resplandecem na escuridão das trevas deste mundo.

Resumindo: Jesus é o Sol que brilha e governa o Universo. A igreja do Senhor é a lua, que recebe de Jesus o brilho e o calor. Os servos de Deus são as estrelas que brilham na escuridão.

Hino: O Sol da Justiça