A enxertia do Zambujeiro – Romanos 11:17-18

 

A enxertia do Zambujeiro

Por William Fortunato Passos

 

“… E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles, e feito participante da raiz e da seiva da oliveira, Não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti.” Romanos 11:17-18

Paulo escreve aos romanos como o projeto de salvação passou de Israel e alcançou a Igreja através da graça. Porém isso não torna os gentios melhores do que os israelitas: “porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar” (v. 23). A mesma palavra se aplica aos nossos dias em relação aos que não estão hoje conosco.

 

O zambujeiro é um tipo de oliveira brava, cujo fruto não se aproveita. É o tipo do homem, que não tem nada a oferecer, nada para se aproveitar.

A oliveira é tipo do Senhor Jesus, que recebe o enxerto dos ramos de zambujeiro. Para o ramo ser inserido é necessário que a oliveira seja ferida. Desse mesmo modo, só temos acesso à salvação através do sacrifício de Jesus. Agora usufruímos da mesma seiva (Espírito Santo).

Um detalhe interessante é que, na enxertia convencional, o ramo continua a produzir o seu fruto, ou seja, o zambujeiro produziria azeitonas ruins. Mas na enxertia de Deus, o homem passa a agir “contra a natureza” (v. 24), rejeitando o pecado e dando frutos bons, para a salvação.

 

Paulo enfatiza que o homem é dependente de Deus e não o contrário. O ramo desligado da raiz morrerá. A raiz permanecerá e outro ramo será ligado a ela. Precisamos sempre ter a consciência de que somos dependentes da raiz, mordomos desta Obra e não donos da oliveira.

 

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário