Oração | Dormindo ou Vigiando? – Mateus 26:40

OraçãoA Oração diferencia o que está vigiando do que está dormindo

Mateus 26:40 – Oração

“E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então nem uma hora pudeste velar comigo?”

INTRODUÇÃO

Aquele momento era um momento especial. O Senhor Jesus estava preparando os discípulos para entender o valor da oração. Neste capítulo, vemos que eles testemunharam grandes maravilhas operadas pelo Senhor Jesus. Quando eles são convidados a irem ao Getsêmani, era uma lição para a igreja do que representa a oração no Corpo.

DESENVOLVIMENTO

Esta semana estamos estudando o capítulo 1 de Apocalipse e aprendemos que somos companheiros de nosso irmão João nas aflições, no reino e na paciência e testemunho de Jesus.

A oração é uma declaração que somos companheiros do Evangelho nas aflições. Nesta noite, somos companheiros na aflição. Estamos juntos, no Corpo, orando uns pelos outros e é isso que nos sustenta na caminhada. Os discípulos naquele momento não foram companheiros da aflição de Jesus. Eles adormeceram.
Quando nos comprometemos em ter uma vida de joelhos no chão, estamos velando como igreja fiel. A palavra velar, no original, kατακρατώ, tem o sentido de prosseguir. Somente a oração nos faz prosseguirmos. O Senhor voltou-se para os discípulos, mas disse a Pedro:
“…nem uma hora pudeste velar comigo?…”
Todos adormeceram. Porque o Senhor fala a Pedro? Porque Pedro era, profeticamente, a representação da igreja fiel, assim como as 10 virgens adormeceram, mas somente 5 tinham o
azeite, da mesma forma que somente à igreja fiel o Senhor fala e a chama para ter uma vida de
joelho no chão.

CONCLUSÃO

Há uma grande diferença do que dorme e do que vigia (vela). Esta diferença é a vida de oração.
Somente a vida aos pés do Senhor nos faz prosseguir. O convite nesta última hora em que a religião dorme é para velar.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta