João 10: 22-25 – A Festa da Dedicação

A FESTA DA DEDICAÇÃO

João 10: 22-25

INTRODUÇÃO

  • Havia uma festa em Jerusalém naqueles dias.
  • Era a festa da dedicação do Templo que havia sido restaurado para adoração ao nome do Senhor.
  • A festa se deu no pleno rigor do inverno.

Vivemos o mesmo momento e a mesma situação. Há uma festa em nosso meio; a festa da dedicação pela Obra restauradora das nossas vidas. Enquanto isso o mundo vive o inverno e a frieza espiritual.

Os irmãos observem que o momento que estamos passando não é invenção nossa, mas de algo maravilhoso que descobrimos na palavra.

DESENVOLVIMENTO

  • A palavra relata que Jesus andava passeando no alpendre de Salomão, no lugar destinado ao rei de Israel. Ele estava num lugar bem visível, de modo que todos que entravam no templo podiam vê-lo em destaque participando da festa. Foi o primeiro a chegar.
  • Hoje o Senhor Jesus está presente na festa que estamos realizando, e todos que entram logo percebem sua presença, pois ele está numa posição de destaque em nosso meio, ele está em nossos corações. Antes de chegarmos aqui ele já estava aguardando por nós.
  • Jesus caminha calmamente no nosso meio. Ele passeia e está à disposição para nos ouvir e atender toda a nossa daqueles                                                                 que tem dedicado a sua vida a Ele.
  • E sua presença nos traz paz e alegra o nosso coração.
  • Os religiosos cercaram Jesus com o coração cheio de dúvidas e frieza, e perguntaram: Até quando terás a nossa alma suspensa? Se tu és o Cristo, dize-no-lo abertamente.
  • Apesar de tudo que tem feito, muitos ainda continuam com dúvidas sobre quem é Jesus, e se Ele realmente está em nosso meio.
  • Muitos estão esperando que o Senhor lhes prove a sua existência e ainda exigem que ele lhes fale diretamente, mas não dão a Jesus esta condição.
  • Somente quem vive na frieza do inverno espiritual na qual o mundo, pede essas coisas.
  • Muitos duvidam de sua obra REDENTORA e da grande operação do Espirito Santo na vida do homem, fazendo-o transformar numa nova criatura.
  • Jesus respondeu-lhes: Já vo-lo tenho dito, e não o credes. As obras que faço, em nome de meu Pai, essas testificam de mim.

CONCLUSÃO

  • Tudo que temos vivido, as bênçãos recebidas, as revelações, as doutrinas, as , e tudo que temos experimentado, são provas suficientes que identificam claramente a pessoa do Senhor Jesus.
  • Não precisamos exigir mais provas, palavra ou sinal, pois o que temos visto e ouvido já são suficientes. Deus tem se manifestado em nosso meio todos os dias.

Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário

Novidades do site

Assine e confirme no seu email