Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :
img

A Vitória pela Madrugada – Provérbios 8:17

A Vitória pela Madrugada

“ Eu amo os que me amam, e os que de madrugada me buscam me acharão.” Provérbios 8:17

“A madrugada é um segredo da minha obra.”

Introdução

A madrugada é a hora do cair do orvalho, que vem umedecer e fertilizar a terra, como refrigério para a terra seca.

A semente vai ser molhada para brotar e produzir. É o início de um novo dia que se inicia

ainda no silêncio. Todos dormem e há calma. Os pássaros começam a cantar, anunciando que a noite se foi e breve o sol vai raiar.

II- Caminho do Deserto

O maná caía no deserto junto com o orvalho pela madrugada (Nm 11:7-9).

O povo caminhando no deserto em direção a Canaã era alimentado pelo maná que Deus lhes mandava a cada madrugada.

Eles tinham que colher aquele alimento antes que o sol aquecesse, porque ao se aquecer, o maná derretia (Êxodo 16:21).

A porção diária recolhida estava assim preservada. Aquele alimento seria usado durante aquele dia. Quando o sol aquecia, o maná, que estava no campo, derretia. Este sol fala do calor da luta diária, do trabalho, da fatiga que muitas vezes nos envolve. Por isso necessitamos de uma provisão para permanecermos na comunhão em todos os momentos.

Na madrugada encontramos o Senhor, (… os que de madrugada me buscam me acharão.) e isto é uma promessa que está na palavra (Pv 8:17).

A Igreja caminha no deserto, em terra árida, rumo a Jerusalém celestial, porém há refrigério, sombra para o calor do dia, luz para a noite e alimento para sustentar a alma cansada.

Era fundamental que Israel buscasse, diariamente, o maná.

O que colhiam devia ser trabalhado. Nm 11:7-9.

O Maná era como semente de coentro, cor de bdélio, e o bdélio é um cristal de rocha branco. O povo colhia, moía em moinhos, ou socava num gral, cozia em panelas e dele fazia bolo e o seu sabor era como bolos de mel e azeite fresco. Êxodo 16:31 e Nm 11:7.

O maná no deserto nos fala do Senhor Jesus, o Pão da vida.

Ele foi moído por nós, provado e por suas pisaduras e provações fomos sarados.

Foram o sofrimento e dor que nos trouxeram paz. Jesus, o Filho de Deus, O Leão da tribo de Judá, se fez homem, habitou entre nós e nos assegurou, através do seu sacrifício, a doçura do seu amor ( Jz 14:18) e o gozo do Espírito Santo.

Os bolos, com sabor de mel, nos falam do senhor Jesus e o azeite fresco, do Espírito Santo.

Este é o alimento que recebemos nas madrugadas: assim como o maná no deserto sustentava a vida do povo, Jesus, o Pão da vida sustenta as nossas vidas espirituais.

III – Necessidade

É nos momentos de aflições que sentimos mais necessidade de buscarmos a Deus pela madrugada.

“Pondo-os ele à morte, então procuravam ; e voltavam, e de madrugada buscavam a Deus.”

Salmo 78: 34

IV- Aflição

“Irei e voltarei para o meu lugar, até que se reconheçam culpados e busquem a minha face; estando eles angustiados , de madrugada me buscarão.” Oséias 5:15

V – Segredo

A busca pela madrugada tem resultados surpreendentes. “ é um segredo da minha Obra” – e o segredo é o maná no deserto, a revelação, a presença de Jesus, o Pão que vem do Pai e do Espírito Santo (Aleluia! Glória a Deus!)

Jesus , o maná no deserto – é o segredo.

VI – O Fruto

O fruto da busca pela madrugada é alimento completo, nutre e é doce como o mel.

Dá-nos ainda o gozo do Espírito Santo, o azeite fresco. É alimento para as nossas almas: o cumprimento de uma promessa “… os que de madrugada me buscam me acharão.” Se buscarmos o Senhor, o acharemos porque as suas promessas não falham.

VII – Prática

Pela madrugada buscamos o pão do céu; é uma porção diária, pessoal, exata. Cada um colhia o que comia. Nem mais, nem menos, na medida certa.

O colher mais nos fala da ansiedade, de buscarmos ansiosos, aflitos, sem sabermos descansar no Senhor. É preciso lembrar que as misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã.

O buscar de menos fala da displicência e falta de interesse.

A porção exata é a medida buscada com sabedoria.

VIII – Conclusão

OBJETIVO ALCANÇADO:

Quando?

Chegou o momento em que o maná cessou.

O povo havia chegado a Canaã , a terra prometida onde manava leite e mel. Iriam gozar dos frutos da terra.

Um dia chegaremos a Jerusalém celestial, a terra prometida, onde gozaremos da presença do senhor em sua plenitude. Estaremos agora em outra posição, na glória, na eternidade.

 

 

 

 

 

 

Gostou? Então compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest
  • Buffer

1 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar