EIS que eu a atrairei ao deserto … – Oséias 2: 14-23

EIS que eu a atrairei ao deserto … – Oséias 2: 14-23

EIS QUE EU A ATRAIREI AO DESERTO …

Oséias 2: 14-23

INTRODUÇÃO

            A Palavra de Deus afirma que o homem sem Jesus no coração é como ovelha que não tem pastor. Ele vive desorientado e confuso, sem esperança e numa situação de vítima constante do inimigo, que o mantém debaixo da escravidão do pecado, da idolatria, dos vícios, etc. O pior de tudo isso, é que o homem não percebe sua situação e pensa que está tudo bem. Mas no fundo ele é infeliz, inseguro  e vive envolvido pela angústia, sem perceber que há um outro modo de vida muito melhor, onde a paz e segurança são constantes. O homem natural, que tem vivido estas coisas, nunca está disposto a ouvir a voz de Deus, pois ele é insensível e não sabe que o Senhor está interessado em falar-lhe ao coração.

            A graça de Deus opera na vida do homem de várias maneiras. O Senhor usa diversos meios para atrair o homem à sua presença. Há muitos que só se lembram do Senhor quando surgem as adversidades, as lutas, as enfermidades, as tragédias repentinas. É nestas horas que o coração de muitos se quebranta e Deus aproveita para revelar o seu projeto e o seu imenso amor.

DESENVOLVIMENTO

… eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração – O Senhor permite certas situações dolorosas na vida das pessoas, porque é justamente nestas ocasiões que seus corações amolecem e elas se dispõem a ouvir o conselho do Senhor. A coisa que o Senhor mais deseja conquistar é o coração do homem – “filho meu, dá-me o teu coração”. O Senhor deseja revelar o seu amor, a sua misericórdia e a sua intenção em salvar a vida do homem, justamente na hora da tribulação, pois quando tudo ia aparentemente bem seu Nome não era lembrado.

… e lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor, por porta de esperança: e ali cantará – A vinha representa a igreja, e é para ela que o Senhor encaminha a pessoa angustiada. Na igreja o Espírito Santo revela a “Porta de Esperança”, que é o Senhor Jesus, retirando a maldição – Vale de Acor – da vida da pessoa. A obra que o Senhor opera na pessoa, transforma seu coração e a desperta para o louvor ao Senhor e para a verdadeira adoração.

… e me chamarás meu marido; e não me chamarás mais meu Baal – A idolatria é uma forma de infidelidade ao Senhor, pois a pessoa substitui o verdadeiro Deus por outro deus. Baal representa todo tipo de idolatria e infidelidade ao Senhor existente na vida do homem. Através da revelação de Jesus, o Espírito Santo liberta o homem das trevas e o faz perceber que precisa manter um relacionamento de fidelidade, amor e dependência do Senhor (a figura do marido). A partir daí, o coração do homem é purificado de tal maneira que o nome dos ídolos é retirado até dos seus lábios.

… e desposar-te-ei comigo para sempre – A aliança do Senhor com o homem é eterna, e o relacionamento é de íntima comunhão. É um concerto firmado na justiça, no juízo, em benignidade, em misericórdia e em fidelidade. O Senhor se faz conhecido num relacionamento assim.

CONCLUSÃO

… e compadecer-me-ei de Lo-Ruama, e a Lo-Ami direi: Tu és meu povo – Lo-Ruama significa desfavorecida,e Lo-Ami quer dizer não meu povo. Estas palavras representam as condições espirituais do homem antes de conhecer ao Senhor; Ele era desfavorecido e estava fora do arraial dos santos do Senhor. Mas a mão do Senhor alcança o homem e transforma toda a situação em que se encontra, trazendo-o das trevas para sua maravilhosa luz (I Pe 2: 9, 10)


Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário

Novidades do site

Assine e confirme no seu email