1 Reis

Uma fiel e a outra infiel – I Reis 3:17-27

Uma fiel e a outra infiel – Esboço de Pregação

Esboço de Pregação em I Reis 3:17-27 – E disse-lhe uma das mulheres: Ah! senhor meu, eu e esta mulher moramos numa casa; e tive um filho, estando com ela naquela casa.
E sucedeu que, ao terceiro dia, depois do meu parto, teve um filho também esta mulher; estávamos juntas; nenhum estranho estava conosco na casa; somente nós duas naquela casa.
E de noite morreu o filho desta mulher, porquanto se deitara sobre ele.
E levantou-se à meia-noite, e tirou o meu filho do meu lado, enquanto dormia a tua serva, e o deitou no seu seio; e a seu filho morto deitou no meu seio.

E, levantando-me eu pela manhã, para dar de mamar a meu filho, eis que estava morto; mas, atentando pela manhã para ele, eis que não era meu filho, que eu havia tido.
Então disse a outra mulher: Não, mas o vivo é meu filho, e teu filho o morto. Porém esta disse: Não, por certo, o morto é teu filho, e meu filho o vivo. Assim falaram perante o rei.
Então disse o rei: Esta diz: Este que vive é meu filho, e teu filho o morto; e esta outra diz: Não, por certo, o morto é teu filho e meu filho o vivo.

Disse mais o rei: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante do rei.
E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo; e dai metade a uma, e metade a outra.
Mas a mulher, cujo filho era o vivo, falou ao rei (porque as suas entranhas se lhe enterneceram por seu filho), e disse: Ah! senhor meu, dai-lhe o menino vivo, e de modo nenhum o mateis. Porém a outra dizia: Nem teu nem meu seja; dividi-o.
Então respondeu o rei, e disse: Dai a esta o menino vivo, e de maneira nenhuma o mateis, porque esta é sua mãe.

Desenvolvimento

As duas mulheres nesse texto simbolizam as duas igrejas que existem no mundo: Uma fiel e a outra infiel.
A criança simboliza a obra, o projeto que Deus colocou em suas mãos para cuidar. A infiel deitou sobre a criança e a matou.
Ela impôs sua vontade, suas razões, sua humanidade carnal, seus interesses materiais sobre a obra e a sufocou, matando-a.

A outra igreja dormiu (Mateus 25:1 e 5 e Cantares 3:1-2), e ao acordar percebeu que se continuasse dormindo espiritualmente a obra lhe seria tirada.

Como a igreja infiel matou a obra do Espírito Santo em seu seio, quer tomar a obra da fiel para matar também.
Quem vai decidir quem deve ficar com a obra é o Espírito Santo – tipificado por Salomão. Ele manda trazer uma espada e dividir a criança dando metade a cada uma delas.
A infiel não se importa que a obra morra, porque ela já perdeu sua parte.

O que vai mostrar quem é a fiel é a espada – Palavra revelada. Ela é quem discerne os corações. (Hebreus 4:12).

O interesse da igreja infiel sempre foi matar a obra para que o homem não seja salvo. A fiel ama a obra de Deus e prefere sofrer o dano do que vê-la dividida.

Quem gosta de causar divisões no meio da igreja deve avaliar se a obra que o Senhor lhe deu para cuidar já não está morta em seu coração e agora quer matar a que está no coração dos fiéis.

Esboço de Pregação em I Reis 3:17-27 – E disse-lhe uma das mulheres: Ah! senhor meu, eu e esta mulher moramos numa casa; e tive um filho, estando com ela naquela casa.



Mais Esboço de Pregação

Igreja fiel e infiel – Provérbios 5:1-6

O Fiel e o infiel – Mateus 21:28-3

Jesus o único amado da Igreja fiel – Cantares 5:9

Uma palavra aos Pais – I Reis 3:18-22

Havia duas mães – 1 Reis 3:17–22