Estudo bíblico – ALÉM DO VÉU

Estudo bíblico – ALÉM DO VÉU

ALÉM DO VÉU

LUCAS 23:44 e 45  –  E era quase a hora sexta … o véu do templo.

A Bíblia diz que quando Jesus expirou o véu do templo rasgou-se de alto a baixo.

O aspecto aqui foi real, objetivo e inconfundível.

Uma nova ordem de coisas.

O véu rasgou-se, uma nova ordem de coisas se fez, a partir dali tudo ficou para trás e, agora abria-se um caminho novo além do véu porque até ali tudo estava aquém do véu.  O véu rasgou-se e, a partir de agora, tudo se fez novo.

As circunstâncias.

1)  O  lugar  –  Cidade  de Jerusalém

2)  A  ocasião  – A  festa da Páscoa

Os fatos acontecem em Jerusalém, a cidade estava borbulhando de gente porque era a festa da páscoa.

A festa da páscoa dava início aos festejos do ano em Israel e por isso todo o povo afluía de todas as partes de Israel para Jerusalém, fazendo com que a cidade ficasse com uma população além da normal naquele período.  As casas estavam cheias,  as ruas estavam cheias, mas nesse dia em especial um fato novo estava acontecendo.

A cidade não estava super povoada porque Jesus ia morrer, mas sim por causa da festa da páscoa, a festa que já estava profetizada para acontecer o sacrifício do Cordeiro Jesus.

Tudo o que a festa falava era sobre Jesus, só que era a partir dali que a verdadeira páscoa iria acontecer porque aquela que os judeus comemoravam era simbólica, ela havia sido instituída há 1500 anos antes de Jesus.

3)  Os elementos: O templo, o sumo sacerdote, a ovelha e o dia de guarda.

O povo judeu estava acostumado com aquilo, era todo aquele ritualismo, era o culto em si que compreendia o templo, o sumo sacerdote, a ovelha e o dia de guarda, que era o sábado.  Tudo convergia para esse ritual do culto da lei.

Todos esses quatro elementos iam perder sua simbologia  naquele dia do sacrifício de Jesus.  Os 1500 anos de religião iam acabar naquele dia, mas o israelita não entendeu isso, ele não entendeu o projeto profético, ele só entendia letra, o que era profético não entrou sua mente  e por isso ele rejeitou a Jesus.

 4)  O  momento  –  A  crucificação de Jesus.

Jesus foi levado para o calvário e à hora sexta houve trevas na cidade, no momento do sacrifício de Jesus.

A lei dizia que se um único estatuto fosse quebrado, toda a lei estaria quebrada.  Em Tg. 2:10 está escrito:Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.  E em Mt 5:18 e 19 está escrito: …nem um jota ou um til se omitirá da lei…qualquer que violar…

Naquele dia o povo tinha vindo para o culto no templo, mas foi atraído para um fato que estava acontecendo, Jesus estava sendo crucificado, e isso era um acontecimento para eles.

Muitos já haviam ouvido falar de Jesus, muitos queriam conhecê-lo, a multidão estava irritada, indignada com Jesus porque Ele havia quebrado o sábado, Ele havia quebrado toda a lei, Ele havia quebrado todos os princípios religiosos e a crucificação dele era algo que a multidão queria ver, eles haviam até esquecido do culto, do templo, da festa, era natural que isso acontecesse.

5)  A hora sexta  (12:00h)  –  Trevas.

E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até a hora nona, escurecendo-se o sol;…

Na hora sexta, Jesus sofria na cruz e, de repente, houve trevas.

O desespero para os que estavam na lei.

A hora sexta correspondia ao nosso meio-dia, sol pleno, por isso a compreensão, o entendimento de todos ficou confuso, perturbado.

Fora do templo  –  Para os que estavam vendo o sacrifício de Jesus, o primeiro pensamento foi: Já é noite, não temos mais condições de oferecer sacrifício.  O serviço lá no templo já deve ter acabado.  Vamos depressa para o templo. O mais importante para eles era o que estava sendo realizado no templo, o sacrifício que estava sendo feito no templo e não o sacrifício de Jesus naquela cruz.  A morte de Jesus interessava a eles, mas não no contexto espiritual, tinha uma outra conotação, não era o interesse principal, o que interessava a eles era a festa e todas aquelas suas tradições.

O Gólgota ficava a 1Km de distância do templo.  Como chegar até lá sem iluminação?  As trevas eram trevas mesmo e ninguém tinha levado a sua candeia para a rua porque ainda era pleno dia.  Deve ter sido uma grande dificuldade para eles chegarem ao templo.

Dentro do templo  –  Para os que estavam no templo a reação não foi diferente.  Quando houve trevas, instalou-se a confusão geral:  O sábado começou!  O sábado começou!  Quebramos a lei!

Os sacrifícios ainda estavam sendo feitos, as ofertas, tudo estava em andamento porque ninguém esperava que a noite chegasse tão depressa.  A escuridão agravou ainda mais aquela situação.  Os levitas se apressando para o sacrifício, não havia luz, as pessoas desesperadas, os animais assustados, aquele corre-corre.

6)  A hora nona  (15:00h)  –  Luz.

… e rasgou-se ao meio o véu do templo.

Nova surpresa.  A luz reaparece, o dia clareou novamente.

Mas o serviço estava atrasado, os sacrifícios, tudo estava atrasado para a festa, o povo estava desorientado, havia uma grande confusão.

Todos correm para o templo:  Graças a Deus!  O que será que houve? Que fenômeno foi este?  Deus foi fiel conosco, o sábado ainda não começou.  Vamos para o culto.

Quando eles chegaram no templo, outra surpresa.

No momento em que Jesus dá o brado lá no calvário ( Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito ),  o arcanjo vem e corta o véu e todos os que estavam ali viram aquilo que nunca tinham visto, que era o que estava além do véu.

Alguns devem ter coberto o rosto com as mãos porque ver aquilo era proibido a eles, só quem podia ver era o sumo sacerdote, uma vez ao ano, e não era na festa da páscoa, e não sem sangue.

Naquele dia da páscoa o sumo sacerdote arônico não entrava porque tudo estava preparado para o verdadeiro Sumo Sacerdote entrar e esse Sumo Sacerdote era Jesus.  O sumo sacerdote arônico só entrava no ofício do fim do ano, no dia da expiação.

7)  A  entrada do Senhor Jesus no Santo dos Santos  –  Além do véu.

Jesus entrou e foi por isso que o véu rasgou-se de alto a baixo, porque aquilo era profético, a entrada do Senhor Jesus no Santíssimo.  Quando Ele dá o brado de morte,  Está consumado,  Ele entra no Santíssimo.

O sumo sacerdote arônico entrava além do véu segundo a lei,  não sem sangue.

8)  O Senhor Jesus morreu por um povo que não era digno.

 Nas orlas dos vestidos do sumo sacerdote arônico tinham as campainhas de ouro que serviam para advertir o povo (que estava no lugar chamado profano) para que estivesse dignamente dentro do templo porque se alguém estivesse indignamente ali, o sumo sacerdote morria lá dentro, no Santíssimo.  Ele balançava as suas vestes e aquelas campainhas tocavam, e isso para que o povo,  a congregação, estivesse entendendo um recado: Eu não quero morrer, viram?  Vocês se comportem aí porque eu não quero morrer por ninguém.

Jesus entrou no Santíssimo e por isso Ele morreu, porque Ele levou os nossos pecados, esse foi o motivo.  Ele foi sem abrir a sua boca, Ele não levou campainha nenhuma, Ele entrou no Santíssimo carregando os nossos pecados e por isso Ele morreu.

9)  O segredo foi revelado.

O israelita estava acostumado àquele culto, a criança, o jovem, o ancião, todos sabiam que ver aquilo era proibido para eles, mas agora estavam diante de uma realidade, eles viram o que estava além do véu.

O que estava além do véu?

Lá estavam: a arca, o propiciatório e, sobre este, as asas dos querubins.

Era um segredo guardado há várias gerações e quando eles viram aquilo, ficaram desesperados porque ver aquilo significava morrer.  Acabou-se tudo.  O véu rasgou-se e vimos o que era proibido a nós.

Não havia como consertar o véu e nem como levantar outro porque aquele véu era especial, não era um simples tecido e, além disso, ele tinha sido rasgado de tal maneira que ninguém conseguiria consertar.  E também não adiantava mais chamar os levitas porque o segredo estava exposto, de alto a baixo.

 O véu era tão pesado que se caísse por cima de uma pessoa, ela morria, isso porque ele era feito de tecidos pesados, de azul, de púrpura, de carmesim e de linho fino torcido. (Êx. 26:31)

Havia o primeiro véu que dava acesso ao Lugar Santo onde estavam a mesa dos pães da proposição, o candeeiro e o altar do incenso.  Quando o sumo sacerdote se dirigia para o Santíssimo, ele entrava por esse primeiro véu e fechava-o, só aí então ele abria o segundo véu para entrar no Santíssimo, era mais seguro, assim ninguém podia ver a arca, nem o propiciatório e nem os querubins.

10)  Jesus cumpre toda a lei.

Quando Jesus diz: Está consumado, a lei deixa de vigorar porque Jesus assume tudo, todo o culto da lei agora passou a ser o próprio Jesus.

O templo  –  Jesus agora é o templo.

Jo. 4:23  –  Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade.

Não era mais naquele templo físico porque ele tinha sido construído para aquele culto da lei e aquele culto não existiria mais a partir de Jesus, agora ele estava completamente anulado porque ele era segundo a lei e a lei estava quebrada desde o começo daquele dia.

Quando houve trevas a lei já tinha caído por terra e quando o véu rasga-se, os segredos aparecem diante dos olhos do povo.  Estava selada a quebra da lei e Jesus então assume todos os elementos do culto da lei.

Ele é o templo.  O templo não é mais em Jerusalém e nem em Gerizim (Samaria), mas sim onde os verdadeiros adoradores estiverem.

A dimensão do culto agora deixou de ser material e passou a ser espiritual, ele tomou uma dimensão espiritual, anulando a  dimensão física.

Qual é o tamanho do templo a partir daí?  Ele está limitado pelas paredes?

Não, o templo agora perdeu os seus limites, a dimensão física desapareceu, ele agora assume a dimensão da eternidade, todo o culto passou a existir em função da eternidade.

O sacerdote  –  Jesus agora é o sumo sacerdote.

Hb. 6:19 e 20  –  … e que penetra até ao interior do véu, onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque.

O sacerdócio do culto da lei era segundo a ordem de Arão, esse sacerdócio teve um início e agora estava tendo um fim porque Jesus agora excede a dignidade desse sacerdócio e passa a ser o Sumo Sacerdote, Ele assumiu o sacerdócio que é sem princípio e sem fim, um sacerdócio eterno,  segundo a ordem de Melquisedeque, sacerdote do Altíssimo.

Melquisedeque era o rei de Salém (Jerusalém), um rei que não tinha genealogia, sem princípio de vida e nem fim de dias (Hb. 7:3).

Esse segundo elemento do culto judaico Jesus também assumiu, era o que estava além do véu.  A dimensão física desapareceu e entrou agora a dimensão da eternidade.

A ovelha  –  Jesus agora é a ovelha.

Jesus agora é a própria ovelha, Ele passou a ser a ovelha do Pai, a única que Ele tinha, e Ele a entregou, dizendo: Essa é a única ovelha para vocês, Eu não vou aceitar nenhuma outra.

Jesus substituiu a ovelha.

Isaías profetizou sobre essa qualidade excelente de Jesus, dizendo:  Ele foi oprimido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro e, como a ovelha muda perante os seus tosqueadores, ele não abriu a sua boca… pela transgressão do meu povo ele foi atingido.  (Is.53:7)

João Batista estava batizando no Jordão e, no dia seguinte, Jesus foi até ele, então João aponta para Jesus e diz: Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.  ( Jo. 1:28 e 29)

O projeto para o velho testamento estava encerrado ali, agora Deus tinha um projeto novo, um novo testamento.

O dia de guarda  –  Jesus agora é o sábado.

Havia um dia especial, o dia do descanso, que era o sábado dos judeus, esse dia era separado para aquele culto da lei.

Jesus agora é o próprio descanso, Ele passou a ser o nosso descanso, o nosso sábado, nós descansamos em Jesus todos os dias da semana.

Há um dia que o mundo convencionou para ser o dia do descanso físico; o judeu, o ateu, o cristão, o muçulmano, todo o mundo separa esse dia.  Hoje, a sociedade moderna já aceita a semana inglesa, que adota dois dias de descanso.  Se formos ver em outros lugares, em Brasília, por exemplo, só vamos trabalhar no dia do Trabalho.  Mas a preocupação vai ser quanto às férias?  Elas vão ser quando?

O dia de descanso físico independe de religião.  Cada uma separa um dia (ou mais) que lhe convenha.  Alguns guardam a sexta-feira, outros guardam o sábado, outros guardam o domingo.  E a Obra do Espírito?  Quantos dias ela guarda?

Ela guarda todos os dias da semana porque nós descansamos todos os dias em Jesus, Ele é o nosso descanso.

O dia agora não é o sétimo dia, é o oitavo e não existe semana com oito dias, mas é um dia após o outro, sucessivamente, continuamente, ininterruptamente.  É o primeiro dia da semana, é o oitavo dia da semana.

Isso é profético porque fala da ressurreição de Jesus.  A partir daí toda a nossa vida é descansar em Jesus todos os dias.

Agora também o tempo perdeu a dimensão porque, agora, nós contamos o nosso tempo para a eternidade e não mais para a morte, nós já estamos vivendo a eternidade, esse é o grande segredo que está além do véu.

11)  Ficar aonde:  além do véu ou aquém do véu?

Jesus morreu, o véu rasgou-se e a partir daí houve uma classificação do povo em  dois grupos distintos:

1)  O grupo daqueles que ficaram aquém do véu.

Quando o véu rasgou-se, todos saíram correndo, taparam o rosto para não ver.

O véu foi uma exigência de Deus para que ninguém pudesse ver além dele, mas quando Jesus bradou no calvário, o anjo veio e cortou o véu.  Era o momento de revelar o segredo, agora todo o mundo podia ver, mas muitos não quiseram ver e taparam os olhos: Não pode acontecer uma coisa destas, por mil e quinhentos anos isso foi guardado.  O que aconteceu?

Mas aquilo já estava profetizado, só que eles não criam em profecia, eles criam em letra.

Qual é o grande problema da Religião?

É exatamente o mesmo.  O que Deus está fazendo agora não importa, o que importa é a letra, não é o que está além dela, que é o segredo, que é o mistério, que é o que estava além do véu, além da letra (porque a lei dizia que ninguém podia ver).

Na sua segunda carta aos coríntios, Paulo diz o seguinte:

3:6  –  O qual nos fez também capazes de ser ministros dum novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.

   O novo testamento agora não é da letra, não é da razão.  A lei estava aquém do véu.  Quem ficou aquém do véu, ficou na letra e ela mata, o que dá vida é o Espírito.

3:14  –  Mas os seus sentidos foram endurecidos.

A mente deles está endurecida porque eles estão aquém do véu, eles não viram o que estava além do véu, que é o novo pacto, o novo testamento.

… Porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido;

Quem aboliu foi Cristo, agora é um novo testamento feito por Ele, não mais a letra.

3:15   –  E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles.

3:16  –  Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará.

Meus irmãos, a conversão é o conhecimento profundo, é a relação profunda do crente com a eternidade, através daqueles recursos que o Senhor colocou à nossa disposição.

O cristianismo aquém do véu é conversão?

Não, é Religião com o nome de cristianismo.

Os mórmons estão no velho testamento ou no novo testamento?

Eles estão no velho testamento.

Eles são seletivos.  No Brasil ninguém se salva porque a religião é só para brancos.  Agora parece que o céu está abrindo um pouco mais, brasileiro já entra, se der uma lixadinha, se raspar um pouco, pintar de branco, já dá.

Eles são poligamitas.  Eles podem casar quantas vezes quiser.  Era uma prática do velho testamento.

Eu conversei com um deles e esse homem estava numa grande dificuldade, ele já tinha nove esposas.

E eu perguntei: Mas como é isso?  Nove?  Como é que você está nessa situação?

E ele respondeu:  Veja você a minha dificuldade.  Com uma só a coisa  já fica difícil… Mas eu tenho que carregar essa cruz porque eu tenho que me salvar e para isso eu preciso de mais uma esposa, eu tenho que ter dez esposas.

Isso é que é luta!  Salvação a que preço!  Salvar-se desse jeito!

O que é que os testemunhas de Jeová pregam?

Eles pregam salvação por Jeová,  racionalmente.

Todo o velho testamento é Jeová.

Quem é mais?  O Pai ou o Filho?

Quem acha que é o Pai, está na letra, porque Jesus disse:  Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida.  Ninguém vem ao Pai, senão por mim.  (Jo. 14:6)

O Pai só aceita adoração dos verdadeiros adoradores e os verdadeiros adoradores são aqueles que O adoram em espírito e em verdade.  (Jo. 4:26)

Quem é que tem o Espírito Santo?

Só quem tem o Filho.  Se você não tem a Jesus, o Pai não vai aceitar  a sua adoração, você não é um verdadeiro adorador, a sua adoração não terá valor algum.  O Pai só aceita se for através do Filho, porque aos que crêem em Jesus é dado o Espírito Santo e o Pai só aceita no Espírito.

Quando você vê aquela idolatria dos católicos, quando você vê as vestes sacerdotais, quando você vê a matraca fazendo aquele barulho nos festejos da  Asemana santa@, quando você vê o incenso, quando você vê todo aquele ritual, toda aquela liturgia, você pensa em quê?

Isso é a repetição do velho testamento.  Isso é da letra ou é do Espírito?

Isso é da letra.

A salvação não vem através da letra, mas ela vem através da fé, através da graça, esse é o novo testamento.

A maior infelicidade das religiões é exatamente essa, elas ficaram no velho testamento, elas ficaram aquém do véu.

Os sabatistas têm esse nome justamente porque guardam o sábado, eles estão na lei a qual foi por Cristo abolida.

Jesus foi morto porque não guardava o sábado, Ele quebrou a lei.  E o sabatista continua guardando o sábado, continua na lei.

Para nós que estamos no novo testamento, o nosso sábado é Jesus e eles não aceitaram o nosso sábado, eles aceitaram somente a lei, o velho testamento.

Eles estão baseados na Palavra?

Não, eles estão baseados na letra e a letra mata, portanto, eles estão mortos.

2)  O grupo daqueles que ficaram além do véu.

Todos aqueles que conheceram o segredo e vivem por ele.

12)  O que estava além do véu?

No tempo da lei.

1)  A arca.

Dentro da arca também estavam as tábuas da lei, que era a Palavra. O que eles tinham ali era a lei e eles não podiam vê-la porque a arca era fechada , tinham que chegar perto e olhar por cima, o exterior, só que ninguém chegava perto dela porque se encostasse a mão, morria.

2)  O propiciatório.

O propiciatório ficava sobre a arca e era de ouro puro.

A palavra propiciatório vem da palavra propício.  Ali Deus se fazia propício ao povo que ia para o culto.  Através do propiciatório Ele falava com o sumo sacerdote, no dia da expiação.

Esse segredo estava vedado ao povo, ninguém, exceto o sumo sacerdote, conhecia esse segredo.

3)  Os querubins.

O Senhor falava ao sumo sacerdote sobre as asas dos querubins.  Essas asas protegiam tudo aquilo.

No tempo da graça.

1)  A arca.

Agora temos a Palavra revelada e ela não é letra, não é razão.

O segredo estava ali.  Para o judeu, a Palavra ali era a lei, era só o que eles tinham, os outros livros vieram depois, eles só tinham o Torah, os outros profetas vieram depois.

Nós temos aquilo que está além do véu,  que é a Palavra revelada.

2)  O propiciatório.

Agora Deus se faz propício ao homem através de Jesus, é pelo sangue de Jesus, é pelo sacrifício de Jesus.  O homem entra no Santíssimo pelo sangue da nova aliança, é pelo poder do sangue de Jesus.

As dimensões são todas da eternidade.

E o que é que o cristianismo tem feito hoje?

Ele transforma tudo isso em coisas terrenas, do chão, daqui.  É letra, é tradição, e é por isso que o homem sai da bênção e entra no misticismo, porque só existem duas formas de sair da razão: ou você vai para a revelação, ou você vai para o misticismo e aí você vai latir, vai miar e o fim disso é triste.

Entrar com ousadia no Santo dos Santos.

Jesus se fez propício a nós, é o caminho que Ele abriu com ousadia.

O pastor Amadeu falou a respeito desse entendimento no ministério de Paulo, da sua compreensão a esse respeito.

Em Hb. 10:19, lemos: Tendo pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne…

Em Ef. 3:12, lemos:  No qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele.

Nós temos essa ousadia de penetrarmos no Santo dos Santos e essa ousadia é conhecer a Palavra profundamente através desse caminho que Ele abriu além do véu.

Jesus abriu esse caminho porque Ele é o Caminho, e esse caminho é o Espírito Santo, é o sangue que sela o compromisso, aquele que se faz propício ao homem. O homem pode-se achegar diante do Pai e dizer: Eu não tenho nenhum valor, mas eu chego a ti pelo sangue de Jesus que está sobre mim, eu fui lavado por esse sangue.

E o Pai vai dizer: Sendo assim, pode entrar.

Ele não vai deixar ninguém entrar porque é bonzinho, só entra pelo sangue de Jesus e mais nada.

3)  Os querubins.

A grande descoberta além do véu, principalmente para os nossos dias, é o ministério dos anjos.

As asas dos querubins ali estavam.

Neste final de ano (1997/1998), tivemos a seguinte mensagem:  Como escaparemos nós se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade?  (Hb. 2:3)

Isso é para quem está aquém do véu?  É para quem está na letra?  Na razão?

Não, isso é para quem está além do véu.

Há uma grande lição no livro de Apocalipse, que é o ministério dos anjos para esta hora que estamos vivendo.

O livro de Apocalipse é o livro das revelações, e a grande revelação que se abre agora para nós é o conjunto da Trindade: a arca ( o Pai ), o propiciatório ( o Filho, pelo seu sangue) e as asas dos querubins ( o ministério do Espírito Santo, aquele que leva e traz os recados da parte de Deus para o homem ).

13)  Hora de decisão:  Ficar ou ir além do véu.

Pelo sangue de Jesus nós estamos vivendo um momento profético, onde tudo está aberto.  Ou nós temos ousadia e entramos além do véu, ou vamos ficar igual à Religião que está aí: É… Viu?… O véu rasgou… vamos guardar o sábado… Eu acho…?

Se você tem ousadia, entra no Santíssimo, com  revelação.

Não é mais aquilo que você está vendo, mas aquilo que você está sentindo, é a operação do Espírito Santo completa em sua vida.

14)  Lucas 23:44 e 45.

E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até a hora nona, escurecendo-se o sol; e rasgou-se ao meio o véu do templo.

A Palavra revelada, o poder do sangue de Jesus e o ministério dos anjos estão além do véu.  Entre com ousadia e viva.

botaodownload

Mais artigos:

JESUS NO VELHO TESTAMENTO

O dia do Descanso – Estudo bíblico

JESUS NO NOVO TESTAMENTO.

O Espírito Santo é uma pessoa – Jo 14:15

SIMBOLOGIA DO TABERNÁCULO – A ORDEM DAS TRIBOS NO ACAMPAMENTO

SIMBOLOGIA DO TABERNÁCULO – A ORDEM DAS TRIBOS NO ACAMPAMENTO

SIMBOLOGIA DO TABERNÁCULO – AS OFERTAS DO POVO – Êxodo 25.2-7

SACERDÓCIO DO SENHOR JESUS, ELE ADVOGA A NOSSA CAUSA – I JOÃO 2:1

Gostou? Então compartilhe

2 comentários em “Estudo bíblico – ALÉM DO VÉU”

  1. OS ESTUDOS E MENSAGENS DEIXADOS PELO PORTAL REVELAÇÃO TÊM SIDO DE GRANDE VALIA PARA TODOS OS SEGMENTOS DA IGREJA ICM, MORMENTE PARA O CULTO DE SENHORAS E REUNIÕES DE JOVENS. É UMA BÊNÇÃO PARA TODA A IGREJA QUE SE BENEFICIA DE TÃO MARAVILHOSO TRABALHO.

Deixe um comentário

Novidades do site

Assine e confirme no seu email