Carta à Igreja de Éfeso – Apocalipse 2:1-7

Apocalipse 2:1-7 – CARTA À IGREJA DE ÉFESO

A cidade de Éfeso:

O período profético da carta foi de aproximadamente entre aos anos 31 e 33 aos anos 98 a 100 de nossa era – porque Jesus não nasceu no ano 0 (zero).
Era uma cidade da Ásia, considerada a porta de entrada para aquele continente.
Lugar onde muitas pessoas se dirigiam em busca de curas e prática de cultos idólatras – ali estava o templo de Diana (Atos 19:35).

A prática de vendas de amuletos e ídolos era muito importante naquela cidade (Atos 19:26-27).

Paulo esteve nessa cidade por três meses pregando o evangelho, mas devido à grande resistência dos judeus, resolveu tornar à Macedônia (Atos 20:3).
Atualmente essa cidade encontra-se em ruínas.

Sobre a carta:

O nome Éfeso significa Aceitável, Aprazível.
Agradável não era a cidade, posto ser terrivelmente idólatra e à princípio não ter aceitado a mensagem do evangelho – mas o período profético que aponta a carta, sendo o início da igreja e da obra missionária porque a igreja estava cheia do Espírito Santo.
Período de intenso e ardoroso trabalho na obra evangelística (Apocalipse 2:3).

  • Então quando falamos igreja estamos nos referindo ao período profético da igreja e não a uma igreja local.
    Porém as características físicas da igreja também são proféticas, por isso O Senhor escolheu cada uma delas em particular para receber as cartas.

Eventos marcantes desse período:

  • O derramar do Espírito Santo no dia da festa de Pentecostes (Atos 2:1-4);
  • As primeiras conversões – iniciando, já nesse dia, com a pregação de Pedro e espalhando-se por toda parte com a obra missionária, principalmente de Paulo (Atos 2:41 e Atos 28:28-31);
  • As viagens de Paulo;
  • Lutas e decepções – falsos irmãos;
  • Prisão dos apóstolos;
  • Morte de Estevão – marcando o início da perseguição à igreja (Atos 6:8 a 7-60).

Características dessa igreja:

  • Perseverança: Trabalho, provas, lutas (internas e externas)
  • Perseguição generalizada;
  • Resistência à falsa doutrina que já queria ser introduzida por alguns.
  • Zelo pela verdadeira doutrina.
  • O Espírito Santo no seio da igreja

A identificação da igreja de Éfeso com a parábola do semeador: (Mateus 13:3-8 e 18-23).

  • Homens simples – trabalha no campo
  • Perseverança – resistência – trabalho duro – iam semeando e chorando
  • Saiu a semear – a palavra foi pregada a todos – a verdadeira doutrina.

Quando a Palavra foi revelada, colocou para fora três grandes inimigos da Obra:

a) Homens maus (Apocalipse 2:2)

Mundanismo: que na Palavra é a semente à beira do caminho.
Maus crentes: falsos crentes – se dizem crentes e não são.
Os que não vivem o Evangelho: presas fáceis para as aves de rapina – maus espíritos.

b) Falsa doutrina

Carne: Solo com pouca terra – homem sem condição de suportar as lutas.
Paulo sofreu com isso (ele diz: todos me abandonaram).
A pedra não lhe agrada – a realidade de Jesus.
O homem não consegue se entregar à verdade.
Prefere o ritualismo, a falsa doutrina, um evangelho que não o incomode.
Cristianismo sem vida eterna.

c) Mentira

Inimigo: A palavra de Deus entre espinhos.
Reação do inimigo foi tentar sufocar a semente lançada – já que não havia conseguido vencer Jesus na sua morte.
A igreja luta contra toda a sorte de mentira – sedução – riquezas.
Cuidados dessa vida:

Nicolaítas:
Nicolau significa: sedutor dos povos.
Foi um diácono que introduziu no meio da igreja a falsa doutrina da mistura com o mundo – comodismo – conformismo.

Éfeso reage diante da luta e responde com a doutrina revelada:

  • A mesma doutrina que nos alcançou.
  • Vivem a experiência depois da doutrina.
  • A igreja que será arrebatada será a igreja aceitável.

Qual era a doutrina dos apóstolos?

  • Excluir tudo o que não era revelação.
  • Guardaram a verdade: Jesus vivo; a doutrina do Sangue de Jesus; a doutrina de corpo; a esperança da vida eterna.

• Essa igreja resiste para deixar à Esmirna uma doutrina de fé.

A ação dos Sete Espíritos de Deus nesse período:

a) Espírito do Senhor: (Apocalipse 2:1)
Essa foi a ênfase nesse período – a conversão é uma experiência com o Espírito de Deus. Sem ela pode haver convencimento, não transformação de vida.
Igreja cheia do poder de Deus – eles pregavam e contavam com a ação do Espírito Santo.

b) Espírito de Sabedoria: (Apocalipse 2:2-3)
Não podes suportar os maus e trabalhaste pelo meu nome.

c) Espírito de Inteligência: (Apocalipse 2:2)
Puseste à prova os que se dizem cristãos e não são.

d) Espírito de Conselho: (Apocalipse 2:5)
Lembra-te de onde caíste e arrepende-te.

e) Espírito de Fortaleza: (Apocalipse 2:3)
Não te deixaste esmorecer.

f) Espírito de Conhecimento (Apocalipse 2:6)
Odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.

g) Espírito de Temor: (Apocalipse 2:5)
Se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.

Promessa:

Promessa ao semeador: a recompensa do trabalho do semeador é comer o fruto do que plantou.

Comer da árvore da vida (Apocalipse 2:7).


botaodownload
Link de DOWNLOAD para Usuários Premium
Faça login!

Mais conteúdo

Chegai-vos a mim… – Isaías 48:16

Será doce como o mel – Apocalipse 10:8-11(

O lado correto da bênção – João 21:3-10

A mudança de Mentalidade – Aos Obreiros

Guardaste a minha Palavra – Apocalipse 3:8-10

Carta à Igreja de Pérgamo – Apocalipse 2:12-17

Salvação, um benefício do projeto de Deus – Isaías 9:6

Carta à Igreja de Sardes – Apocalipse 3:1-6

Eclesiastes 7:5 “melhor é ouvir a repreensão do sábio”

Salvação, um resgate para a vida – Isaías 49:9-10

A libertação do Senhor – Isaías 49:25

O arrebatamento da Igreja – Mateus 24:37-39


Gostou? Então compartilhe

Deixe um comentário