Carta à Igreja de Tiatira – Apocalipse 2:18-29

Carta à Igreja de Tiatira - Apocalipse 2:18-29Apocalipse 2:18-29 –  CARTA À IGREJA DE TIATIRA

A cidade de Tiatira:

– O período profético da carta foi de aproximadamente entre os anos 538 ao ano 1517 de nossa era.

– Era uma cidade industrial.

– Havia sindicatos

– Comércio de púrpura (Lídia era vendedora de púrpura)

– Gregório I inaugura o sistema papal, que foi uma manobra romana para não perder o poder de governo político sob uma aparência espiritual.

– O ambiente era favorável a três elementos: Política + Religião + Riqueza

 

O nome:

– O nome Tiatira significa sacrifícios contínuos. Porque essa igreja ignora o sacrifício único de Jesus e implanta a missa, que é a repetição do ritual litúrgico do sacrifício do Velho Testamento.

– Aqui são criados e inseridos na igreja: a missa, os santos, as imagens, os dogmas, a proibição de o leigo ter acesso à leitura e exame das escrituras.

– O culto idólatra vindo de Pérgamo toma força nesse período.

– Uma imitação do serviço levítico aparece: vestes sacerdotais, guizos, incenso.

– Tudo isso para tentar anular a eficácia do Sangue de Jesus – o Cordeiro Eterno – Um só sacrifício.

 

Eventos marcantes desse período:

– Culto idólatra.

– Volta ao Velho Testamento (sacrifício contínuo – ignorando o Cordeiro de Deus).

– Surge a casta sacerdotal – clero.

– A fé (grão de mostarda da parábola de Pérgamo) havia morrido.

 

Igreja infiel:

– Em Apocalipse 2:20 O Senhor faz menção de Jezabel (nome da mulher do pior rei que Israel teve – Acabe – e não sendo de Israel, era idólatra e impunha sua vontade no reino, fazendo o povo se afastar do Deus verdadeiro)   

  O Senhor chama essa igreja de Jezabel. A falsa profetiza – a que deseja o trono – a glória.

– Mandou matar Elias (ela quer matar a profecia).

– Tinha centenas de profetas de Baal (homens que cultuavam falsos deuses).

– Materialismo – interesse terreno, riquezas terrenas.

– Nicolaítas – Poder político.

 

Como ela governa?

– Em Pérgamo vimos que o governo romano transfere o poder para dentro da igreja.

      Estado             + Igreja infiel               = Único Poder

(Poder Político)   (Poder Religioso)               (Mulher)

 

Feudalismo:

– Nesse período surge a falsa doutrina – o pecado entra na igreja..

– A igreja instigada pela mulher comete grandes assassinatos

– A santa inquisição (para garantir a hegemonia da igreja romana)

– As cruzadas (guerras para pilhar riquezas das nações e sustentar o clero – sob o pretexto de cristianizar os povos bárbaros.

– Tribunal para investigar e punir atos contra a “fé católica”.

– Todos os que se opunham a essa doutrina eram condenados como bruxos.

– Falso profetismo (mentiras em nome de Cristo – prática que usou Jezabel para matar Nabote e se apossar de sua vinha – profetizando que ela mataria os fiéis para se apossar da igreja).

  1. a) Vigário de Cristo (vigário = substituto)
  2. b) Maria como a quarta pessoa da Trindade
  3. c) Maria mãe de Deus – rainha do céu  

– A verdade é substituída pela aparência

  1. a) Época do medo – excomunhão
  2. b) Inicia a venda de indulgências
  3. c) Cobrança de taxas

Apocalipse 2:24 – “Os que não têm essa doutrina”

– Nicolaitismo – Poder político

– Balaaonismo – Poder materialista Besta

– Jezabelismo – Poder religioso

 

Vejamos o ensino:

– Salvação por obras   –  em lugar da fé

– Liturgia – ritual –  em lugar de culto

– Idolatria –  no lugar do Único Deus

  • É o mesmo ensino que permanece até hoje.
  • O resultado desse ensino é o pecado, o homem sem limites, a miséria social.

 

A parábola das três medidas de fermento: (Mateus 13:33)

– A igreja fiel vive do mosto, que é a fermentação do vinho, que o transforma do interior para o exterior.

– A igreja infiel não tem o vinho (Espírito Santo), então ela usa o fermento, que é a inserção de algo estranho para apodrecer a massa e dar volume (põe algo além de Jesus).

– Mulher (Jezabel – igreja infiel – religião)

– Lança o fermento na massa de trigo – o pouco do trigo que sobrou da semeadura de Éfeso, salvou da mistura em Esmirna e foi preservado em Pérgamo.

– Ela lança três medidas para anular O Pai, O Filho e O Espírito Santo

 As três medidas, como já vimos são os três poderes concentrados na igreja infiel:

 – Poder Político – Poder Econômico – Poder Religioso

  • Essa figura (Jezabel) será citada várias outras vezes no livro do Apocalipse até que ela seja vencida pelo Cordeiro. (Apocalipse 12:1 e 6 e 17:1,3,4,6,9,14,18)

 

Sobre a carta:

– O Senhor Jesus Cristo se apresenta como O Filho de Deus.

– Olhos como chamas de fogo para enxergar tudo isso.

– Outra carga não vos porei – O Senhor não permitiu outra perseguição como em Esmirna.

– Governo de mil anos – milênio terreno – imitação do milênio profético de Cristo

– Estrela da manhã – dia que nasceria em meio a tantas trevas e vai desencadear numa nova ordem de eventos importantes na próxima carta (Sardes).

 

A ação dos Sete Espíritos de Deus nesse período:

  1. a) Espírito do Senhor: (Apocalipse 2:18)

O Filho de Deus – Olhos como chamas de fogo – Pés como latão (juízo próximo)

  1. b) Espírito de Sabedoria: (Apocalipse 2:19)

Conheço que tens amor – fé – paciência (mil anos)

  1. c) Espírito de Inteligência: (Apocalipse 2:20)

Discerniam que a mulher é falsa profetiza

  1. d) Espírito de Conselho: (Apocalipse 2:25)

Retende o que tens até que eu venha (era pouco o que tinham)

  1. e) Espírito de Fortaleza: (Apocalipse 2:19)

As últimas obras são maiores que as primeiras.

  1. f) Espírito de Conhecimento (Apocalipse 2:23)

Sonda os rins e o coração.

  1. g) Espírito de Temor: (Apocalipse 2:22)

Porei numa cama – a grande tribulação – os filhos serão feridos de morte.

 

Promessas:

– Outra carga não vos porei.

– Dar-lhe-ei poder sobre nações e com vara de ferro as regerá.

– Dar-lhe-ei a estrela da manhã.

 

Juízo:

– Matarei seus filhos.

Gostou? Então compatilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *